Índia e Itália no cardápio

246
Uma das versões do fettuccine artesanal com curry defumado, o carro-chefe da casa

Maior eixo gastronômico de Curitiba, a avenida Manoel Ribas, principal via dos bairros Mercês e Santa Felicidade, ganhou na quinta-feira 22/10, depois de um período de testes – a chamada soft opening, abertura gradual – um restaurante para 30 pessoas chamado Curry Pasta. O endereço, na esquina da rua Raquel Prado, aquela da escadaria, já abrigou, anos atrás o famoso bar Botafogo. A casa, cujos pratos remetem “a referências orientais da Índia e ocidentais da Itália”, é resultado da união de dois chefs conceituados: Rafael Lafraia e Dudu Sperandio.

Lafraia será o responsável direto pelo dia a dia da cozinha, propondo a combinação de sabores, após um intercâmbio de estudos em Vancouver, no Canadá, quando trabalhou por dois anos em um restaurante indiano. No retorno ao Brasil, colocou em prática outros projetos gastronômicos que apostavam em uma cozinha de fusão entre os sabores tradicionais das gastronomias indiana e italiana, até chegar ao projeto do Curry Pasta. Já Dudu Sperandio, titular do Ernesto Ristorante e o Funiculare, é o consultor gastronômico do novo empreendimento, trabalhando no desenvolvimento de novos preparos, que trazem toda sua espertise na elaboração de massas.

Com mais de 40 especiarias que formam o mix de sabores, o restaurante aposta no curry defumado como grande destaque do cardápio.  Entre os pratos estão: porção de coxinha de pernil com curry de maçã; bolinho de risoto recheado com linguiça Blumenau; curry de alho poró e capim limão com camarões; risoto ao curry defumado servido com queijo grana padano e acompanhado por frango, mignon ou cogumelos; e a versão de Poutine, prato típico do Canadá, servido com batatas rústicas.

O carro chefe da casa é o Fettuccine artesanal com curry defumado servido com queijo grana padano e acompanhado por frango, mignon ao molho grana ou cogumelos. Já as sobremesas são feitas de uma masala de seis especiarias indígenas brasileiras, do Pará, entre elas, a palha brasileira, desenvolvida com amendoim, chocolate meio amargo e especiarias brasileiras; o pudim de leite condensado com calda de especiarias; e o brownie com especiarias da Amazônia e ganache de chocolate. O restaurante oferece, também, um menu três tempos, com entrada, prato principal e sobremesa; e opções de pratos executivos.

O Curry Pasta abre diariamente para o almoço (terça a sexta-feira, das 11h às 14h; sábados e domingos, das 11h30 às 15h) e jantar (terça a sábado, a partir das 18h).

Mezmiz, inspirado no Libano

Mezmiz: comida árabe faz parte do menu

De uma viagem ao Líbano, surgiu a inspiração da empresária Vaneska Berçani, sócia-proprietária do grupo Velho Oriente, para criar um novo restaurante, o Mezmiz. O conceito, segundo ela, é trazer a Curitiba “uma Beirute cosmopolita e o estado de espírito de alegria e acolhimento de seu povo”, combinado com “novas experiências e vivências”. O Mezmiz, na rua Brasílio Itiberê, 4412, no bairro Água Verde, vai funcionar sem interrupções entre 11h e 23h. A inauguração está prevista para 11 de novembro.

Se a marca Velho Oriente, criada há mais de quatro décadas, deixa de nominar o tradicional restaurante do grupo, que funcionou do outro lado da rua, vai continuar presente através de uma linha de produtos congelados que, em breve, poderá ser encontrada em vários pontos da cidade.

Vaneska diz que o Mezmiz será “um espaço moderno, onde a simplicidade e a preocupação com a qualidade permanecem, mas agora sem o tradicional salão árabe. A ideia é ser mais um local para comer do que um restaurante”. O ambiente terá grande janelas, facilitando a ventilação e a iluminação natural, sistema de captação de água da chuva, destinação consciente dos resíduos orgânicos para compostagem, dos materiais recicláveis e sistema permanente de renovação de ar. “Nossa maior preocupação, dadas às diferenças enormes entre o que fazíamos e a nossa nova proposta, é comunicar nossos clientes e amigos sobre o encerramento de um ciclo, mas com a convicção de que o novo trará muitas alegrias”, destaca a empresária.

Lobão Witbier, a novidade

No rótulo, Lobão é um mago preparando a cerveja

Uma live no Instagram, nesta quinta-feira às 19h, marca o lançamento da cerveja Lobão Witbier, cujo nome é homenagem ao cantor e compositor brasileiro. O novo produto, com teor alcoólico de 4,5%, tem o timbre da cervejaria curitibana Root, conhecida por suas marcas alusivas aos roqueiros brasileiros.

A Lobão Witbier, segundo a empresa, é uma belga clássica feita de trigo, de cor clara e turva, com sabor refrescante, suave e levemente cítrico. Harmoniza com frutos do mar e salada verde. O rótulo mostra o artista como um mago preparando a cerveja.

Sócio-proprietário da Roots, Devanir Avigo Junior, destaca: “Essa cerveja combina com o Lobão porque é complexa, com adição de insumos como casca de laranja e semente de coentro remetendo a uma poção mágica”. O lançamento pode ser acompanhado no Instagram do Lobão e da Roots. A cerveja já está à venda em cervejaroots.com.br.

Três franceses, um português

Tournedos Paris ao molho Roquefort, o prato principal

Com vinhos franceses do Vale do Rhône e um português do Alentejo, o bistrô L’Épicerie (r. Fernando Simas, 340, Bigorrilho, Curitiba) promove nesta quinta-feira a sua tradicional La Nuit du Vin, que tem a parceria da importadora Porto a Porto. O preço do jantar harmonizado, que começa às 19h, é de R$ 160 por pessoa mais taxa de serviço.

O evento abre com uma mise em bouche, um resgate de um clássico do L’Épicerie que por muito tempo fez parte do menu, a Salade Gourmande: folhas, salmão defumado, cogumelos Paris, tomate cereja e molho cocktail. Para acompanhar, um branco do Rhône, o Héritage, de uvas Colombard, Ugni Blanc e Folle Blanche.

A entrada, vol-au-vent de pescada amarela e camarões ao molho cremoso de tomate, é servida com o português alentejano Monsaraz Rosé 2018. Dois vinhos do Rhône foram selecionados para acompanhar o prato principal – Tournedos Paris, mignon que leva molho Roquefort cremoso e shitakes, servido com o gratin dauphinois, as batatas gratinadas do L’Épicerie: os tintos Héritage e Le Chêne Noir Côtes du Rhône Villages. Para finalizar, a releitura de um clássico: crème brûlée de limão siciliano.