O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revisou para cima sua estimativa inicial para a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2007.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revisou para cima sua estimativa inicial para a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2007. O instituto estima uma safra de 133,8 milhões de toneladas, o que representa uma variação de 0,3 ponto percentual sobre a projeção anterior. Também significa um crescimento de 14,3% sobre a produção agrícola calculada para 2006.

Em relação a 2006, o IBGE espera uma produção de soja 11,2% maior, e pelo menos 16% superior para a milho de primeira safra e 40,6% para o milho de segunda safra, de acordo com dados do LSPA (Levantamento Sistemático da Produção Agrícola).

Somente soja e milho (primeira e segunda safras) respondem por 82,5% da produção estimada, com as maiores áreas dedicadas ao plantio (20,6 milhões e 13,8 milhões de hectares, respectivamente).

O instituto estima uma produção de 4 milhões de toneladas de trigo, um número 61% superior à safra de 2006, que foi prejudicada pelas condições climáticas do período. No Paraná, maior produtor nacional, o IBGE prevê uma safra de 1,9 milhão de toneladas, variação de 54,5% sobre a safra de 2006.

Dentre os 25 produtos analisados pelo IBGE, há estimativas de crescimento – na comparação com 2006 – para 17 itens, com destaque para algodão herbáceo em caroço (31%), amendoim em casca – 2ª safra (19%), batata-inglesa – 2ª safra (4,2%), batata inglesa – 1ª safra (22,5%).

Na ponta oposta, o IBGE espera um decréscimo na produção de amendoim em casca – 1ª safra (queda de 10,2%), arroz em casca (declínio de 4%), aveia em grão (retração de 34,7%) e batata inglesa – 3ª safra (baixa de 2%), entre outros produtos.