Heróis brasileiros salvam crianças com câncer

564

*por Claudia Queiroz

“Mamãe, você tem algum dodói? Não, filha. Graças a Deus? Então ela fez beicinho, jogou charme e fingiu estar com dor no braço… Posso pegar um bandaid da Elza (princesa da Frozen)? Claro, querida”. Foi assim que minha filha, de 4 anos, trouxe uma luz um pouco lúdica para eu contar que nem todo curativo serve para brincar de médico.

No mesmo formato de um tradicional curativo, o engenheiro Joel de Oliveira Jr. desenvolveu um sistema de monitoramento para diminuir a mortalidade de crianças com câncer. Ele juntou-se com o médico Wagner Marcondes, do Hospital Albert Eisten e também ao especialista William Souza, profissional com vasta experiência em tecnologia de informação e juntos, criaram a Luckie tech, uma Startup que desenvolve dispositivos usados para detectar e alertar neutropenia – termo médico que indica quando os níveis de glóbulos brancos dos pacientes em tratamento cai, deixando-os vulneráveis às infecções.

No Brasil, são registrados 12 mil novos casos de câncer infantil por ano. No mundo, são 362 mil no mesmo período. Um número alarmante e que exige ação rápida. O trio de ferro está conseguindo patrocínios para o projeto e já está produzindo os adesivos, dispositivos e aplicativos de inteligência artificial que ajudam a salvar vidas. Para saber mais informações, acesse www.luckietech.com.

Essa solução apareceu em sonho para o Joel após viver o drama de perder o filho de 7 anos. Ele conseguiu canalizar a dor como forma de amenizar o sofrimento de outros pais que vivem uma situação parecida com a que ele enfrentou.

Acredito que este engenheiro encontrou na dor uma grande missão de vida. E a superação da perda do filho trouxe direção e foco para um novo rumo. Ele largou o antigo emprego, vendeu tudo o que podia, baixou o padrão de vida para investir neste negócio.

Conversando aqui e ali foi ganhando adeptos, apoiadores, estruturando a empresa, para agora expandir para o mundo.

Quando a gente entende o que nos move na vida, fica mais fácil atravessar momentos complicados para realizar o que precisamos verdadeiramente fazer. Joel ouviu a voz interior e acreditou nela. Experimentou a dor e o amor para ressignificar sua perda e salvar novas vidas. Enquanto conversava comigo, ria e chorava com a emoção que esta história representa.

Eu ouvia e silenciosamente engolia meu pranto, porque perder um filho tem algo de indescritível… Uma lacuna deixada no peito para sempre, que só mesmo a grandeza sobre-humana é capaz de transformar essa cicatriz em brasão.

Joel quer salvar vidas. Eu quero salvar pensamentos. Vivemos uma época tão complicada de notícias instantâneas que mal nos damos conta dos processos enfrentados pelos heróis que vivem perto de nós.

Meu talento é contar histórias que inspiram um mundo melhor. Essa é a diferença que trago em forma de notícia. Superar as dificuldades nos torna gigantes. Traga isso para sua vida e vença seus limites. Só depende de você. E sempre que isso acontecer, fale comigo. Vou adorar registrar sua glória.

Claudia Queiroz é jornalista.