Requião, o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão do Paraná, deputado Luiz Nishimori, e o cônsul-geral do Japão no Paraná, Soichi Sato, lançaram o Imin-100, que comemora o centenário da imigração japonesa no Brasil.

Durante a Escola de Governo desta terça-feira (28). “É uma honra pra nós receber aqui representantes da comunidade japonesa”, disse Requião, que assinou o decreto que institui 2008 como o ano de Centenário da Imigração Japonesa no Brasil do Paraná.

“Além de destacar o trabalho de conquista dos imigrantes japoneses e também a acolhida da nação brasileira, nosso principal objetivo é criar oportunidades para reaquecer o comércio bilateral entre Brasil e Japão. O Paraná já possui projetos de sucesso com japoneses, mas podemos aperfeiçoar esses negócios”, afirmou Nishimori.

“Apesar de representamos cerca de 1% da população brasileira, viemos contribuir com o desenvolvimento do Brasil em diversos setores, como agricultura, comércio e meio acadêmico. Desejo que o centenário seja o ponto de partida para um desenvolvimento ainda maior de cooperação entre Brasil e Japão nos próximos cem anos, e a participação do Governo do Paraná é imprescindível”, disse Sato.

ATIVIDADES – Mais de cem atividades estão previstas para as comemorações, como a Expo Imin-100, exposição tecnológica e agrícola que será feita por mais de 300 empresários japoneses em Rolândia (Norte do Estado), de 18 a 22 de junho. “É uma festa de integração para comemorar um ano importante na sociedade brasileira”, afirmou Nishimori. “Essa festa é a integração do povo, de todas as etnias que aqui chegaram, formando a comunidade paranaense”, completou o cônsul.

O deputado adiantou que o maior evento acontece em junho, quando representantes da família imperial japonesa vêm ao Brasil – no Paraná, eles chegam no dia 22, para a solenidade que será realizada em Rolândia, Norte do Estado, onde se localiza a sede da Aliança Cultural. De acordo com Sato, são esperadas cerca de 50 mil pessoas. “É uma grande oportunidade para estreitar os laços comerciais e de amizade entre os dois países”, disse. No dia 23, a família imperial estará em Curitiba.

Além dos representantes da família imperial, vêm ao Brasil empresários, ministros e políticos japoneses. “Acredito que, em todo o país, teremos mais de 8 mil autoridades japonesas”, disse Nishimori. Para ele, essa é uma oportunidade de divulgar o trabalho e as conquistas dos imigrantes e seus descendentes, que contribuem muito com o desenvolvimento social, econômico e cultural do país, especialmente do Paraná.

De acordo com o deputado, a comunidade japonesa no Paraná é a segunda maior do país, com cerca de 150 mil integrantes (em Curitiba, são 30 mil e, no Norte do Paraná, 120 mil). No Brasil, há mais de 1,3 milhão. Na economia brasileira, os japoneses investem cerca de 5 bilhões de dólares por ano e importam etanol, frango, laranja e soja, entre outros produtos brasileiros. “Cerca de 80% da carne de frango consumida pelos japoneses e 60% da laranja vêm do Brasil. Tenho certeza de que várias empresas virão ao Paraná para investimentos”, disse Sato, que lembrou a implantação da primeira fábrica de biodiesel no Estado pelos japoneses.

COMISSÃO – O decreto assinado pelo governador Roberto Requião institui oficialmente, no Paraná, 2008 como o ano de Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, além de estabelecer a Comissão Estadual Organizadora das Comemorações do Centenário da Imigração Japonesa, em todo o Estado, que será responsável pela organização dos eventos junto ao Consulado do Japão no Paraná e ao governo da província de Hyogo, comunidade irmã do Paraná.

Além disso, em trabalho conjunto com a Aliança Cultural Brasil Japão, Liga Desportiva Cultural Paranaense, outras organizações, instituições e empresas, a Comissão pretende aperfeiçoar os relacionamentos com as entidades que promovem e articulam os interesses japoneses e brasileiros, desenvolvendo projetos em diversas áreas, como esporte, cultura, educação, comércio, turismo, ciência, tecnologia e agricultura.

A Comissão tem o governador Requião como presidente de honra e é formada por Luiz Nishimori (presidente); pelo secretário-chefe da Casa Civil, Rafael Iatauro; pelo presidente da Assembléia Legislativa do Paraná, deputado Nelson Justus; pelo 1.º Secretário da Assembléia Legislativa do Paraná, deputado Alexandre Curi; além de secretarias e associações estaduais. Ainda será indicado um desembargador pelo Tribunal de Justiça.

BOX – Apresentação de taiko

Durante a Escola de Governo, o grupo Wakaba, da Associação Cultural e Beneficente Nipo-brasileira de Curitiba, fez uma apresentação de taiko, tambores japoneses. Criado no início de 2005 pela Associação Brasileira de Taiko, “o grupo visa divulgar e manter a cultura japonesa no Brasil”, afirmou Kazuto, um dos coordenadores do Wakaba, que ficou em 3.º lugar na categoria juvenil do Campeonato Brasileiro de Taiko.

Kazuto explica que a Associação, instalada em São Paulo, possui cerca de 80 entidades em todo o país e, juntamente com a Aliança Cultural Brasil-Japão do Paraná, está ligada a Confederação de Taiko no Japão. Desta forma, é realizado o intercâmbio de profissionais japoneses, que vêm ao Brasil para ensinar os alunos durante workshops, além da promoção de diversos eventos sobre essa arte.

Usado há cerca de 2 mil anos em festividades e cerimônias religiosas, o taiko é um instrumento tradicional japonês que emite som místico. Era considerado morada dos deuses e das almas dos antepassados e ficava instalados nos templos como objeto sagrado. Depois de abstinência e purificação, ao tocar o taiko, acreditava-se que os deuses surgiam para atender aos desejos.