GM diz que pandemia não atrasou cronograma de veículos elétricos

361

A estratégia de veículos elétricos adotada pela General Motors parece não ser afetada, em grande parte, pela pandemia global do COVID-19. De fato, durante uma conferência com jornalistas automotivos liderada por Ken Morris, vice-presidente de veículos elétricos e autônomos da companhia, as únicas mudanças pareciam pequenas e positivas.

Embora pareça que faz muito tempo, foi há apenas alguns meses – o dia 4 de março, para ser exato – que a GM realizou seu grande Dia EV. Naquele evento, a marca revelou a profundidade e amplitude de sua estratégia de veículo elétrico e mostrou sua nova bateria Ultium e arquitetura flexível de veículos elétricos. Até revelou ao grupo de jornalistas e investidores dez futuros veículos diferentes de várias formas e tamanhos, incluindo o GMC Hummer EV na forma de picape e SUV, a atualização do Bolt EV e o Bolt EUV, além do Cadillac Lyriq.

Então, toda a extensão da pandemia do COVID-19 ficou mais clara e o mundo mudou. A produção de automóveis parou e as empresas voltaram sua atenção para o fornecimento de ventiladores mecânicos e equipamentos de proteção individual (EPI). Quanto às mudanças no programa de eletrificação da GM, as únicas alterações foram o atraso do Chevrolet Bolt EV atualizado para 2021, e os adiamentos da revelação do Cadillac Lyric, marcada para abril e da revelação do Hummer EV marcada para maio.

Para enfatizar isso, Morris passou por várias alterações. O acordo para produzir dois veículos elétricos com a Honda permanece, o plano para aumentar a produção de energia renovável com a DTE segue como estabelecido, e o orçamento de US$ 25 bilhões alocado para os programas de Veículos Elétricos que visam a produção de um milhão de veículos elétricos até 2025 ainda está em vigor.