A empresa russa Gazprom está fornecendo o máximo de gás possível para a Europa, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres nesta quarta-feira, acrescentando que as questões técnicas com equipamentos, que ele disse serem motivadas pelas sanções impostas à Rússia, impediam a Gazprom de exportar mais.

A Rússia entregou menos gás para a Europa na quarta-feira em uma nova escalada de um impasse sobre energia entre Moscou e a União Europeia que tornará mais difícil, e mais caro, para o bloco armazenar o produto para a temperatura de inverno, quando a demanda por aquecimento aumenta.

A redução no abastecimento, assinalada pela Gazprom no início desta semana, reduziu a capacidade do gasoduto Nord Stream 1 –a principal rota de entrega de gás russo para a Europa– para um quinto de sua capacidade, já que a Rússia disse que outra turbina do gasoduto precisava de reparo.

“A Gazprom fornece o máximo de gás necessário e possível. Sabemos que as possibilidades técnicas de fornecimento diminuíram agora”, disse Peskov, acrescentando que as sanções européias impediram um reparo oportuno do Nord Stream 1.

Peskov disse que a Gazprom será capaz de aumentar o fornecimento quando a manutenção terminar. “A Gazprom foi e continua sendo um garantidor confiável de todas as suas obrigações, mas não pode garantir o fornecimento se o equipamento estrangeiro não puder ser reparado devido às sanções europeias”, disse Peskov.

Fonte: Reuters