Games, tendência e pandemia: Estúdio Fimec

391

Um cotidiano cada vez mais pulverizado pelas dinâmicas digitais e, em especial, pelos jogos eletrônicos. Essa tendência foi mapeada e apresentada aos profissionais do setor do couro e calçados durante a Fimec (Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes). Ela foi o mote central do Estúdio Fimec, que nesta edição foi chamado de Estúdio On – A Revolução dos Games – em função dessa temática.

O Estúdio Fimec é um espaço dedicado a pensar o futuro da moda, do desenvolvimento de produtos e do comportamento de consumidores. Realizado pela Fenac em parceria com a Coelho Assessoria Empresarial, o espaço apresenta conteúdos pesquisados pelo Studio 10 e pelo Centro de Design da Universidade Feevale. Passada a feira, a temática apresentada aos profissionais que circularam no evento ganha ainda mais força com a pandemia causada pela Covid-19. “O Estúdio On – A Revolução dos Games tratou de um tema já comum no dia a dia de muitos consumidores. Mas, hoje, com a Covid-19, a ‘gamificação’ foi potencializada”, ressalta o estilista e diretor do Studio 10, Christian Thomas.

Com o isolamento social imposto pelo novo coronavírus esse processo passa a se potencializar no comportamento diário da sociedade. “Hoje vemos provas virtuais no automobilismo sendo transmitidas na web, atletas de diferentes modalidades como o futebol competindo em lives com forte interação do público. Existem muitas plataformas sendo transferidas. Esse tema não só era recorrente como se potencializou ainda mais. Hoje confirmamos isso na prática. Esse movimento se daria ao natural, mas hoje foi exponencial em razão do distanciamento social ou mesmo do isolamento”, lembra Thomas.

Entre as atrações do Estúdio Fimec estava o Jogo de Vestir, game criado pelo Laboratório de Jogos e Aprendizado da Universidade Feevale, baseado nas pesquisas de tendências realizadas para esta edição do espaço. “O ambiente virtual dos games dá ao criador e ao estilista de fazerem suas composições e seus mix de produtos em ambiente virtual, agilizando processos, abrindo possibilidades de se trabalhar as coleções com mais eficiência, agilidade e, sobretudo, sem geração de passivo ambiental com descartes”, ressalta Thomas.

Todo o material produzido nessa pesquisa passou a compor um repositório para direcionar criativos das áreas de calçados e acessórios. Todo o projeto está baseado em uma pesquisa, realizada durante oito meses com a coordenação do Studio 10 e com a participação pelo Centro de Design da Feevale. Ela foi apresentada aos visitantes da feira, e agora estará disponível para profissionais do setor.