A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná aposta na fruticultura como opção de desenvolvimento e diversificação no meio rural


A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná aposta na fruticultura como opção de desenvolvimento e diversificação no meio rural, principalmente para as pequenas propriedades familiares. O setor proporciona elevada rentabilidade e gera mais empregos, disse o secretário Valter Bianchini.
O cultivo da fruticultura como opção de desenvolvimento para o Paraná será o tema de palestra que Bianchini dará nesta quinta-feira (20) na Unicentro, em Guarapuava. Ele irá apresentar comparativos feitos pelo Departamento de Economia Rural (Deral) de que na pequena propriedade a produção de frutas é mais rentável e gera mais empregos do que a produção de grãos.
Em condições normais de clima e de comercialização, o faturamento bruto anual com a produção de morango pode chegar até R$ 50 mil por hectare; a produção de uva fina até R$ 25 mil por hectare e a de uva rústica e laranja de mesa, até R$ 9 mil por hectare. Já a produção de soja gera um faturamento bruto de R$ 1,8 mil por hectare; feijão gera renda de R$ 1,8 mil por hectare e o plantio de milho gera renda bruta de R$ 1,5 mil por hectare.
Outro fator positivo da fruticultura é a geração de emprego e de postos de trabalho. Enquanto a produção de morango gera emprego para oito pessoas por hectare, de uva fina, quase três postos de trabalho por hectare, o cultivo de soja, totalmente mecanizado, gera emprego para uma pessoa a cada cinco hectares.