Fomento Paraná se despede do empregado nº 01

281

O empregado número 01 da Fomento Paraná, Claudio Massaru Shigueoka, que atualmente coordenava a área de Planejamento e Gestão Estratégica, foi homenageado pela diretoria em um evento semipresencial na  sexta (30), seu último dia de trabalho na instituição à qual se dedicou por 16 anos.

Engenheiro civil de formação, Shigueoka atuou no extinto Badep e no Bamerindus/HSBC e foi o primeiro empregado concursado contratado pela Fomento Paraná, em 2004. Agora conquistou a aposentadoria. Há meses ele preparava a transição no cargo, que será ocupado pelo economista e analista de desenvolvimento Gustavo Duda Mattana.

Responsável por estruturar boa parte das atividades executadas pela Fomento Paraná, de programas, linhas de crédito e fundos diversos a projetos complexos de investimento financiados pela instituição, Shigueoka deixa um legado gigantesco para o Estado do Paraná, por seu trabalho dedicado e comprometido com o desenvolvimento da atividade econômica, especialmente os pequenos negócios.

Ao agradecer em nome da diretoria, o diretor-presidente, Heraldo Neves, destacou que foram 16 anos de muita entrega, dedicação, comprometimento, disciplina, e que Shigueoka ajudou muito na construção da Fomento Paraná. “Tem um legado registrado de forma permanente como uma lanterna no horizonte dos quadros que permanecem na instituição”, disse o diretor. “Hoje ganha a família do Claudio, que terá companhia em tempo integral dessa extraordinária pessoa, extraordinário quadro técnico. Uma pessoa que levou a termo o significado de ser servidor público: idealista, preocupado com o estado econômico do país, do Paraná. A marca que ele deixa é registrada na pedra, não se apaga”.

Sentindo-se honrado e lisonjeado diante de uma série de declarações de colegas na despedida, Shigueoka contou como decidiu fazer o concurso da instituição e sobre sua identificação com pequenos empreendedores. Para ele, a missão da instituição sempre esteve no foco das ações.

“Em todos esses anos, se conseguimos fazer algo de sucesso e de concreto, deixando algum legado, é por entender que somos uma instituição de governo e que temos uma missão que uma empresa privada não tem, que é servir à população, atendendo às suas necessidades”, declarou Shigueoka. “A ideia é que tendo essa consciência da sua missão, que o seu trabalho faz parte de um contrato com a população para servi-la, você vai ter sucesso nos seus empreendimentos. E não vai desistir dos seus projetos, ou de fazer o que tem que ser feito.”

A ex-governadora Emília Belinati, também assessora da presidência, lançou mão de uma passagem bíblica que fala de pessoas que semeiam, outras que regam e outras vem e colhem, “para dizer que tive o privilégio de ver acontecer essas três fases de um trabalho exercido com garra, comprometimento e simplicidade, dentro de princípios”.

Leia a nota completa e fotos no site da AEN .aen.pr.gov.br/Fomento-Parana-