Fisioterapia animal

299

Você sabia que doenças articulares acometem acima de 20% dos cães, aumentando essa taxa conforme a idade? E que 80% dos gatos acima de 9 anos possuem algum grau de artrose e consequentemente apresentam dor articular? De acordo com a veterinária e especialista em fisioterapia animal Jennifer Hummel, a fisioterapia animal é fundamental e a melhora de qualidade de vida dos pacientes é muito grande nesses casos, principalmente os que envolvem doenças neurológicas e ortopédicas.

Tratamentos mais comuns

A fisioterapia animal visa a recuperação e a reabilitação do pet. Nesse caso, são observados os movimentos físicos e postura do animal, fazendo o uso de práticas que contribuam para sua reabilitação. Em cada caso é preciso uma avaliação minuciosa do estado do pet.  A veterinária frisa que será escolhida a técnica de tratamento adequado ao quadro do animalzinho. As mais comuns são: Hidroterapia, Magnetoterapia, Fototerapia, Acupuntura, Laserterapia, Eletroterapia, Cinesioterapia e Ultrassom e Infrassom (tratamento via ondas sonoras).

Casos que precisam de fisioterapia

A veterinária Jennifer informa que as causas mais comuns que exigem a fisioterapia no pet são: Artrose, Ruptura de ligamento cruzado cranial, Luxação de patela, Hérnia de disco, Síndrome de cauda equina, Pacientes oncológicos, cardiopatas, renais e endócrinos, Controle da obesidade e Cicatrização de feridas. Ela frisa que atualmente existem diversas clínicas veterinárias que oferecem fisioterapia animal a pets, porém é preciso se certificar de que ela possua profissionais capacitados para realizar os procedimentos, justamente pela delicadeza em tais casos e tratamentos.