FEI assina acordo do Rota 2030 para eficiência energética

341
Projeto para uso de hidrogênio em motores flex vai receber um investimento total de R$ 5,4 milhões

O Centro Universitário FEI assinou o Acordo de Parceria com o Programa Prioritário do Governo Federal Rota 2030, que tem como meta estimular o desenvolvimento tecnológico e aumentar a competitividade da indústria nacional de veículos.

O projeto que foi aprovado visa melhorar a eficiência energética de motores flex utilizando a técnica de enriquecimento de hidrogênio extraído por reforma catalítica dentro do veículo. A tecnologia combina o etanol e o hidrogênio para melhorar o rendimento do motor e reduzir a emissão de poluentes.

“A mistura etanol-hidrogênio tem a vantagem de poder ser aplicada diretamente no motor sem grandes modificações estruturais. Além de atender uma demanda da indústria automobilística brasileira, o projeto tem o potencial de mobilizar diversos setores produtivos dentre eles, o setor químico, petroquímico e de materiais, favorecendo o desenvolvimento de tecnologias nacionais e a expansão do mercado e a exploração de novas aplicações industriais”, explica o professor Ricardo Belchior Torres, coordenador geral do programa e do curso de engenharia química da FEI.

O projeto terá um investimento de R$ 3 milhões da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) e cerca de R$ 2,4 milhões de contrapartida econômica do setor privado e das ICTs (Instituições de Ciência e Tecnologia) participantes. Além da FEI, também assinaram o acordo o Instituto Nacional de Tecnologia (INT) e a Universidade Federal de Minas Gerais, assim como as empresas AVL e Sabó. Aliás, no início de abril a Sabó já havia fechado um acordo de parceria com o Senai-SP para selecionar startups que queiram trabalhar junto ao Rota 2030.