O Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madail, descartou a possibilidade de que o técnico Luiz Felipe Scolari, seja demitido por ter dado um soco no jogador.

“Após uma primeira análise das imagens recolhidas, das declarações proferidas desde o fim do jogo até ontem (quinta-feira) à noite e dos relatórios que vão chegando à FPF, está afastada qualquer medida radical de corte de relação laboral entre a FPF e o senhor Luiz Felipe Scolari”, disse.

Madail confirmou que a Federação abriu um inquérito para apurar o incidente, ocorrido no jogo Portugal X Sérvia, disputado em Lisboa.

A Uefa também iniciou uma investigação e, numa mensagem, disse que tanto Felipão quanto Dragutinovic são acusados de conduta imprópria.

“Vamos, agora, dentro do prazo que nos foi concedido, enviar para a Uefa todos os documentos que possam ajudar a uma tomada de uma decisão justa”, explicou Madail.

Relatório do juiz

Falando à imprensa nesta quinta-feira, Scolari pediu desculpas pelo ocorrido, mas disse que o jogador sérvio o ofendeu usando “palavras em espanhol” dirigidas a sua família.

Por sua vez, Dragutinovic disse a um jornal sério que estava conversando com outro jogador quando o ataque ocorreu e que considera “inaceitável” o que o treinador fez.

Em Portugal, alguns jornais chegaram a pedir a demissão de Felipão após o incidente. Até o presidente, Aníbal Cavaco Silva, criticou o brasileiro.

“Foi um gesto lastimável, principalmente tendo em conta que estava em causa da seleção”, disse Cavaco Silva.

O canal de TV português SIC Notícias informou nesta quinta-feira que o relatório do árbitro do jogo sobre o ocorrido é favorável a Felipão e corrobora o que o técnico disse.

Segundo a emissora, o juiz alemão Markus Merkl relatou que o técnico da seleção portuguesa reagiu ao que fez o sérvio Ivica Dragutinovic. No dia do jogo, Dragutinovic levou um cartão vermelho depois de terminada a partida.