Brasil lidera ranking de exportadores. Código de barras padrão GS1 facilita as operações logísticas, fazendo com que o produto brasileiro seja reconhecido em qualquer parte do mundo.

De janeiro a julho de 2007, o Brasil exportou cerca de 104 milhões de pares de sapatos, perfazendo um total de US$ 1,12 bilhão, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). Os destinos são os mais variados possíveis. Só os Estados Unidos importaram 33 milhões de pares no período.

Para realizar as operações de embarque e desembarque, distribuição e comercialização desse imenso volume de produtos, que valeu ao Brasil a liderança no mercado exportador, as empresas do setor coureiro-calçadista têm se valido, cada vez mais, de eficientes soluções de automação, sendo que a principal delas é o código de barras, padrão GS1 – administrado, no país, pela GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação (Nova marca da EAN Brasil).

Visando melhorar a comunicação e a interatividade entre os participantes da cadeia de suprimentos da indústria calçadista, bem como desenvolver padrões para a utilização de ferramentas de gerenciamento, a GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação criou um grupo de trabalho especialmente voltado a essa área, o Grupo de Otimização Logística (GOL). A iniciativa nasceu no início de 2002, como resultado do desenvolvimento de um projeto piloto altamente bem sucedido realizado pela Calçados Azaléia, com apoio da GS1 Brasil.

Segundo Ana Paula Maniero, assessora de Soluções de Negócios da GS1 Brasil e coordenadora do GOL, os fabricantes de calçados estão convencidos de ser vantajoso investir em automação. “Hoje o ciclo de vida dos produtos está cada vez mais curto, devido ao plano de desenvolvimento contínuo e a novos lançamentos. A quantidade de volumes comercializados e os prazos de entrega estão diminuindo, sendo que as freqüências de entrega estão aumentando gradativamente. O lojista trabalha com estoques cada vez mais reduzidos, pois o mercado demanda este modelo e a indústria repassa esta necessidade a seus fornecedores”, destaca.

Um dos diferenciais criados pelo Grupo foi o selo de qualidade Gol. O certificado é destinado a fornecedores, indústria calçadista e varejo, que utilizem os padrões do Sistema GS1 para a integração de suas cadeias de suprimentos. Para ter acesso ao selo, a empresa precisa ter o Laudo de Conformidade com o Padrão do Sistema GS1, emitido pela GS1 Brasil, e implantado com um ou mais parceiros comerciais, e com índices de eficiência de serviço acima de 90%. “Hoje, o Selo Gol é reconhecido e valorizado por toda a cadeia, tornando-se um diferencial competitivo entre as empresas do setor”, ressalta Ana Paula.