O evento  ocorrerá no formato híbrido, reunindo referências na área do mundo inteiro, além do Brasil,  tais como Coreia do Sul, Holanda .

Nos dias 29 e 30 de junho acontecerá mais um evento internacional organizado pelo Programa InSySPo, parte do Departamento de Política Científica e Tecnológica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Com o tema “Do Local ao Global: Cadeias Globais de Valor (CGV) e Ecossistemas de Inovação e Empreendedorismo em um mundo pós-covid”, a conferência busca explorar como os países, regiões, empresas e indivíduos responderão a crises multifacetadas e rearranjos produtivos, e entender quais serão mais resilientes e mais capazes de adaptação do que outros e por quê.

O evento é gratuito e ocorrerá no formato híbrido, reunindo referências na área do mundo inteiro tais como Coreia do Sul (Dr. Keun Lee da Seul National University), Holanda (Dr. Ron Boschma da Utrecht University), Brasil (Dr. Eduardo Albuquerque da Universidade Federal de Minas Gerais).

O evento tem como organizadores, Dr. Nicholas Vonortas (George Washington University e InSySPo – Unicamp), Dr. Bruno Fischer (Unicamp) e Dr. Ron Boschma (Utrecht University).

IMPACTOS DESCONHECIDOS

O tema é de extrema importância considerando os muitos impactos ainda desconhecidos de tantos eventos que afetam as atividades econômicas hoje em dia, como a desconfiança geral da globalização por parte da população de vários países democráticos (e não democráticos), as tensões geopolíticas entre a China e os Estados Unidos, bem como as guerras entre a Rússia e seus vizinhos e a própria pandemia de COVID-19 são alguns deles.

As Cadeias Globais de Valor são importantes fenômenos do comércio internacional nos últimos anos, e consideram o conjunto de atividades necessárias para a produção e entrega de um produto ao consumidor final. Quando falamos no nível global, essa cadeia se expande e incorpora indivíduos, empresas e países diferentes na produção de um único produto.

De acordo com os organizadores do evento, “considerando o papel fundamental desempenhado pelas CGVs na formação e integração de capacidades tecnológicas no nível das empresas, regiões e países em todo o mundo, é fundamental conceituar melhor essas condições para abordar adequadamente como os sistemas econômicos e de inovação vão se adaptar aos novos desafios globais.”

ECOSSISTEMAS  

É importante destacar também o papel dos chamados ecossistemas de inovação e empreendedorismo, que conectam inúmeros agentes para criar redes de conhecimento eficientes. Essas estruturas de produção possuem hoje em dia uma atuação dupla, com efeitos no global e no local, e são diversas as interações no nível das empresas, regiões e países. Ou seja, os novos obstáculos também podem obstruir essas redes e representar riscos às organizações que formam esses ecossistemas de inovação.

Para mais informações acesse o site (https://www.ige.unicamp.br/insyspo/) ou entre em contato pelo e-mail  insyspo@ige.unicamp.br . Link para inscrições:  https://bit.ly/3spDchb

O encontro que será realizado no  auditório do Instituto de Geociências da Unicamp tem como público-alvo alunos, pesquisadores, professores e especialistas na área. O evento será transmitido também no canal do Youtube: https://bit.ly/3tfOnJJ

“Tartaruga Pet Socorro” chega a Pinhais

(fotos de Fabio Cristiano)

Prefeita de Pinhais, Rosa Maria de Jesus Colombo  e o artista plástico Luiz Gagliastri, que produziu a escultura da tartaruga.

O  município de Pinhais, recebeu esta semana,  a “Tartaruga Pet Socorro”. Trata-se de uma escultura feita pelo artista plástico Luiz Gagliastri, que realiza no Parque das Águas, em parceria com a Prefeitura de Pinhais, o Projeto Ecopet. Com seis metros de comprimento, seu casco será preenchido com garrafas de plástico (pet), visando conscientizar a população sobre os riscos à natureza e a própria vida humana, causados pelo mau uso do material.

Estiveram presentes na solenidade de lançamento  a  ativista e protetora de animais Adriana Biega, designada embaixadora do projeto;  a prefeita de Pinhais, Rosa Maria de Jesus Colombo, e  artista plástico Luiz Gagliastri, que produziu a escultura da tartaruga.

“A escultura vai receber as garrafas pet e, por meio do Projeto Ecopet Pinhais, serão destinadas para a reciclagem, gerando renda para o projeto. Daqui a dois anos, vamos retirar as garrafas pet do casco pela última vez e preenchê-lo com terra e flores. Ela vai virar uma escultura que chamamos de topiaria, um jardim de flores que mostra que há vida e esperança para a sobrevivência das tartarugas”, explicou o artista Luiz Gagliastri que já apoiou outras causas como a da baleia, em 1984.

A tartaruga instalada em Pinhais é a primeira escultura permanente de uma série que será instalada em várias cidades do Brasil. A primeira escultura foi exposta em Matinhos, Litoral do Paraná, em janeiro deste ano e devido ao sucesso, Gagliastri decidiu levar o projeto para outras partes do país.

A exposição, que também é interativa, tem atividades com alunos da rede municipal de ensino de Pinhais com brincadeiras com jogos ambientais que ensinam de forma lúdica as crianças a aprenderem sobre sustentabilidade.

A tartaruga, com seis metros de comprimento, terá seu casco preenchido com garrafas de plástico (pet), depositadas pela população que visitar o Parque das Águas.

Do projeto participam  as Secretarias Municipais de Desenvolvimento Econômico (Semde) e Meio Ambiente (Semma), que realizará atividades com as crianças da rede municipal de ensino de Pinhais durante a exposição. As equipes da Semma irão propor brincadeiras com jogos ambientais. Ao final das arrecadações, os materiais descartados serão destinados à Arepi (Associação dos Recicladores de Pinhais). A escultura ficará aberta à visitação no Parque das Águas durante um mês, das 6h às 21h.

O artista Luiz Gagliastri – que faz parte do Roteiro Turístico Estrada Ecológica desde 2007 e trabalha com obras engajadas com a causa ambiental – comentou sobre a obra que chega à Pinhais. “A motivação do projeto foi a minha preocupação como cidadão e artista com a poluição que hoje ocorre nos mares, principalmente. Então Pinhais está sediando um dos projetos mais importantes já feitos no país contra a poluição dos mares por plástico, então a gente está muito feliz com essa parceria”, declarou.