Sem previsão de chuvas que cheguem a molhar o solo, produtores, técnicos e governo torcem para que o clima mude antes que os estragos na lavoura sejam consideráveis.


A falta de precipitações significativas há mais de 60 dias na maior parte do Paraná está chegando a níveis preocupantes. As previsões do Agroclima, do Clima Tempo, mostram que o Sul e Sudoeste do Estado terão ainda baixos níveis de chuva nos próximos cinco dias, numa média total de 30 milímetros, o que não é suficiente para recuperar a umidade do solo. Mas, no Norte não tem qualquer previsão de chuvas. O Agritempo, do MAPA, apresenta mapas onde mostra a urgência de irrigação nas próximas 48 horas. Uma das culturas em risco é a cevada.

 

 


Segundo boletim do Departamento de Economia Rural (DERAL), da Secretaria da Agricultura do Paraná, está com 80% do desenvolvimento vegetativo, fase em que precisa muito de chuva para formar os grãos. “A falta de umidade já está causando alguns reflexos negativos às lavouras, como o aparecimento de pragas e doenças, o que fatalmente exige maior controle pelos produtores”, informa o técnico Methodio Groxko.

Foto/Mapa: A área vermelha é apontada como tendo necessidade de irrigação urgente.

 

Ainda há tempo

Aproveitando o bom momento que atravessa a pecuária de reprodutores e matrizes, a Fazenda Terra Roxa, em Cambará (PR) e parceiros colocarão à venda 60 touros das raças Simental e Simbrasil com avaliação genética positiva. O leilão será virtual transmitido pelo Canal do Boi, hoje (dia 20) às 20 horas, segundo divulgado no site Agrosoft Brasil. Mais informações são dadas neste site. Trata-se de uma boa oportunidade para o melhoramento genético de rebanhos. 

 

Como enfrentar a concorrência

Estão abertas, até o dia 21 de setembro, as inscrições para o 13º Congresso Brasileiro de Veterinários Especialistas em Suínos – ABRAVES 2007, que ocorre entre de 16 e 19 de outubro, em Florianópolis. O presidente do 13º Congresso da ABRAVES, Paulo Roberto Souza da Silveira, declara que está trabalhando para “trazer novos conhecimentos, discutir e estimular a atualização dos profissionais em torno dos desafios da produção de carne suína para um mercado globalizado. Vale a pena verificar, pois o mercado está cada vez mais competitivo.

 

 Nova arma contra a aftosa

A Itaipu Binacional desenvolveu um software para monitorar os rebanhos das fazendas na fronteira entre Paraguai e Brasil, via satélite, e ajudar no combate a doenças animais, como a febre aftosa. Com essa ferramenta será possível acompanhar o fluxo de animais na fronteira e restringir o contato com rebanhos contaminados. Segundo nota da Agência Brasil, a Itaipu está interessada na melhoria de qualidade na criação de bovinos. 

 

O lucro da Monsanto

A Monsanto anunciou, nos EUA, que este ano terá lucros superiores ao previsto, graças em grande parte à venda de milho transgênico na Argentina e Brasil, e ao aumento de preços do agrotóxico glifosato, que os agricultores são obrigados a comprar quando usam sementes transgênicas, informa o ZooNews

 

Bunge investe em biocombustíveis

A norte-americana Bunge anunciou, através de sua subsidiária brasileira, o ingresso na produção de etanol, adquirindo a Agroindustrial Santa Juliana, uma usina de produção de açúcar e etanol, do grupo Tenório, localizada no estado de Minas Gerais. E já avisou que esse será apenas o começo de uma estratégia que tem por finalidade a liderança no “negócio global” de biocombustíveis. *Editor de agronegócios. (comentários e contatos pelo e-mail: spada@induscom.com.br)