Esperança aumenta nossa potência

516

*por Claudia Queiroz

Estamos falando de sentimentos e valores há um bom tempo, para te lembrar que pensar, sentir e agir precisam estar em sintonia com sua consciência, para que você possa desenvolver a perseverança. Sem ação, a esperança vira expectativa, que muitas vezes se torna frustração. Então conta para mim, como anda a sua esperança? Você tem alimentado seus sonhos, sua fé na vida?

Quando converso com alguém que acredita no que está dizendo, fico hipnotizada pela entonação da voz, pelo brilho nos olhos e a vontade de interagir é realmente contagiante. Sempre e, para tudo na vida, há novas possibilidades, que abrem mente e coração quando estamos disponíveis para ouvir uma opinião sincera, amigável…

Particularmente eu não gosto da mania de algumas pessoas em se vitimizar, ao contrário do que dizem são protagonistas das próprias histórias, mas se esquecem disso. De qualquer forma, a desesperança do olhar opaco, do tom de voz cheio de incerteza, da falta de amparo são convites para um mergulho infinito na angústia, medo, depressão… Essas emoções podem virar um padrão sem você perceber.

Eu sempre falo da diferença de AGRADECER e RECLAMAR…. Vou contar para quem não sabe essa minha definição. Deixar a graça descer é tornar possível a comemoração de cada detalhe, conquista, momento do dia e entregar a confiança a Deus, que é nosso pai e que, como todo pai, ensina, ajuda, mostra caminhos. Reclamar é clamar a Deus, pedir, pedir, pedir sem se contentar… Percebe de que lado muitas vezes estamos?

O que nos move nessa vida é a esperança. Com ela buscamos soluções, lutamos, somos criativos, não desistimos… Mas quando perdemos a esperança, entregamos a luta, somos derrotados por nós mesmos! A esperança é a crença na possibilidade de novos e positivos resultados. É o olhar atento ao presente e curioso sobre o amanhã.

Encontre um significado maior. Olhe para seu hoje. Planeje. Experimente dar o primeiro passo. Sinta as pequenas mudanças acontecendo e continue neste movimento.

Você já assistiu um filme chamado “Um Sonho de Liberdade”? Um dos mais profundos da minha vida.  Há nele uma espécie de menu de esperanças para cada tipo de personalidade… O mundo do cárcere põe em xeque a capacidade humana de confiar, condenar ou esperar. O que resta ao indivíduo privado da sua liberdade, senão exercitar a capacidade de esperar? Com Morgan Freeman e vários outros artistas consagrados, o sucesso não poderia ser diferente. Uma ótima pedida para ver ou rever conceitos impecáveis de desenvolvimento humano.

Voltamos para a vida real. Por aqui, nosso apelo à esperança está por todo lugar, ainda mais com coronavírus por aí… Eu digo para minha filha, de 3 anos, que é um bichinho invisível que pode estar em qualquer canto.

Dia desses conversei com a Mônica Fleming, que tem 70 anos, foi diagnosticada com o COVID e passou pela quarentena em casa, totalmente isolada dos filhos, netos e de qualquer contato. É uma guerreira. Superou o medo da morte e conseguiu aprofundar ainda mais os vínculos com a família mantendo a distância recomendada.

Com certeza a história dela de superação inspira muita gente a enfrentar melhor outras dificuldades e, certamente, crescer com elas. Pessoas iluminadas iluminam e nos ajudam a trocar experiências, vivências e a ter fé na vida, afinal, “a fé move montanhas”, “quem espera, sempre alcança”, a “esperança é a última que morre”, não é verdade?

Como o amor é virtude universal, ouso afirmar aqui que a esperança aumenta nossa potência! Se esperamos algo, é porque acreditamos que exista! Isso tem muita relação com a fé. E a fé com ação é algo poderoso, nem que você não acredite em milagres.

Se você pudesse realizar o seu desejo, você agiria — não esperaria. Existem coisas que vão além da nossa imaginação, que são presentes, que valem a surpresa e a lapidação da nossa história…

Por isso, quando a esperança estiver na sua frente, reconheça, olha para ela de cima a baixo, dê-lhe um braço e sinta que ela é a sua companheira, aquela que acalma e te agrada sempre que você precisa. É um fôlego extra para momentos difíceis, mas não deixa de ser sua melhor amiga, de todas as horas.

Claudia Queiroz é jornalista.