Na foto (crédito Ricardo Marajó), os representantes italianos do método Learning by Languages, Andrea Pagano e Roberta Prandi, com o prefeito Rafael Greca.

Representantes italianos da cidade de Reggio Emilia reuniram-se com o prefeito Rafael Greca e com a secretária municipal de Educação, Maria Sílvia Bacila, para apresentar a Curitiba soluções em educação e sustentabilidade que têm sinergia com as estratégias municipais. No encontro, realizado no dia 6 de junho, os pedagogos italianos Andrea Pagano e Roberta Prandi mostraram possibilidades de intercâmbio entre o método Learning by Languages e a secretaria de Educação, já que a cidade de Reggio Emilia é a principal referência de educação infantil do mundo e abordagem pedagógica que embasa grande parte do ensino infantil em Curitiba.

“É uma honra receber pessoas que dão continuidade ao trabalho do educador Loris Malaguzzi, que criou o método, e também de Maria Montessori, outra italiana que valorizava as possibilidades de aprendizagem à disposição das crianças”, disse o prefeito Rafael Greca.

Os pedagogos participaram de um seminário internacional organizado pela Escola Parlenda, único colégio da América do Sul que atua com o método Learning By Languages, uma abordagem reggiana que vê a criança de 0 a 6 como protagonista no seu processo de aprendizagem.

No evento, educadores paranaenses se encantaram com as possibilidades educativas do método. “Nós, do núcleo da educação ambiental, temos a responsabilidade de dar visibilidade a tudo que ocorre na rede municipal em educação ambiental e fomentar parcerias. O projeto Mãos na Massa é um exemplo disso e trabalha a transversalidade da educação com ações pedagógicas que unem educação e meio ambiente”, ressalta a secretária municipal de Educação, Maria Sílvia Bacila.

Projeto Remida une reciclagem e aprendizagem

Outro objetivo do encontro com a prefeitura de Curitiba foi apresentar o projeto Remida, um centro de pesquisa sobre resíduos industriais de caráter social, educativo e ambiental. “Esse projeto tem como finalidade propor a reutilização criativa de resíduos nas escolas públicas e privadas de Curitiba por meio de uma parceria com a indústria e vínculo com Reggio Emília, na Itália”, observa a diretora da Escola Parlenda, Sônia Sillas.

O projeto proporciona a coleta de material novo destinado ao descarte entre centenas de empresas da região e o apresenta novamente como recurso educativo. Isso acontece por meio dos ateliês que estudam seu potencial expressivo e através de uma distribuição a escolas e associações para projetos educativos e culturais. “Nossa meta é inaugurar um projeto Remida aqui em Curitiba junto às crianças para que possamos reforçar nossa referência como cidade inovadora e sustentável”, afirma Sônia.

Visita aos núcleos de educação infantil e ambiental para futuras parcerias

Além do encontro com a prefeitura, no dia 3 de junho, os pedagogos italianos estiveram com a diretora do departamento de Educação Infantil Kellen Patrícia Collarino, pela secretária municipal da Educação, Maria Silvia Bacila, e a gestora do Núcleo de Educação Ambiental, Marise Abreu. “Além de apresentarmos a proposta do projeto Learning by Languages, também demonstramos o projeto i-vulcani, um espaço de aprendizagem projetado que favorece a aprendizagem das crianças de 3 a 8 anos, por meio do pensamento científico, da observação e do estudo dos infinitos estados de transformação da matéria, bem como dos princípios da codificação e da robótica”, detalha a diretora da Escola Parlenda.

As ideias compartilhadas com o município de Curitiba têm como objetivo propor parcerias futuras para que as crianças vivenciem experiências com e na natureza. “As abordagens italianas dão suporte para que as crianças do século XXI possam complexificar as suas aprendizagens”, conclui ela.