Especialistas comentam desafios da retomada econômica

300

Fernanda Consorte: “mês de julho como uma montanha-russa”

Inflação e novas variantes da Covid-19 são desafios para a retomada econômica, alertam especialistas em evento do “O que tem assustado é a inflação  sendo que câmbio pesou nessa balança junto com serviço. O IPCA-15 veio mais alto que o previsto e aumenta o risco de a inflação chegar a 9%”, alertou Fernanda Consorte, economista chefe do Banco Ourinvest

Com a participação de jornalistas, em nível nacional, especialmente convidados,  Banco Ourinvest, referência em câmbio há mais de 40 anos, realizou o Radar Comex com especialistas em comércio exterior na última  desta terça-feira (27/07). A coluna CAPITAL & NEGÓCIO participou do encontro por intermédio do jornalista Luiz Augusto Juk, do jornal Diário Indústria & Comércio.

Yana Dumaresq, ex-secretária especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, avalia que o momento é de precaução e cautela. “O fim dessa crise e trajetória de recuperação são uma incógnita para todos nós. Temos novas variantes e outras questões que podem ainda potencializar a crise por aqui e, essa variável ainda é uma incógnita”, afirmou.

Yana acredita que teremos um vigor até por conta do aumento da vacinação. “A própria crise da Covid-19 é algo de aversão a risco, de espera para ver o que vai acontecer e qualquer instabilidade de risco político eleva essa tensão”, destacou.

Fernanda Consorte, economista-chefe do Banco Ourinvest, classificou julho como uma montanha-russa. No início do mês, a impressão era de que o pior estava para trás – com taxa de câmbio batendo R$ 4,90 –, mas o cenário virou nas últimas semanas com o aumento da aversão nos mercados globais. “Aquele temor com a inflação dos EUA, que começou lá no início do ano, ainda segue. Além disso, temos uma nova variante no radar e aversão a risco virou o nome do jogo”, avaliou.

A economista ressaltou que, nesse contexto, o real, como sempre, teve o pior desempenho entre os pares. “O Brasil está com filme um pouco queimado no mercado externo”, mencionou.

Welber Barral, estrategista de Comércio Exterior do Banco Ourinvest, chamou a atenção sobre a importância da Reforma Tributária para o país no cenário internacional. “Outro ponto, é que nos tornamos aos olhos do mercado internacional um grande vilão de políticas ambientais. E isso afasta investidor”, classificou Barral.