“Era o que tínhamos”

322

A advogada Rosângela Moro, mulher do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, disse que votou em Jair Bolsonaro em 2018 porque acreditou que ele mudaria de postura depois das eleições. “Era o que tinha para hoje. Preferi acreditar que ia ter jeito, que dessa vez vai“, afirmou.

Segundo ela, que concedeu entrevista ao programa “Conversa com Bial”, da TV Globo, Bolsonaro não deu autonomia à sua equipe durante os primeiros anos de governo. Ela ainda afirmou que votou em Lula nas eleições de 2002, mas que não poderia ter votado no PT (Partido dos Trabalhadores) outra vez.

“Por ser a atual gestão, com a máquina na mão, a corrupção sistêmica, mostrou-se que o PT tinha vínculo com essa corrupção.” Rosângela lança nesta semana o livro “Os dias mais intensos: Uma História Pessoal de Sérgio Moro”, em que compartilha bastidores de episódios relacionados ao marido e o impacto da operação Lava Jato na vida da família.

Na entrevista, ela rebateu os comentários de que Moro teria traído o governo. “Ele foi até onde pôde, e quando viu que não tinha condições, saiu”. As informações são do Poder360.

Apoio a inadimplentes

Por unanimidade e num único dia, a Assembleia Legislativa aprovou projeto de lei de apoio às empresas paranaenses que não puderam honrar compromissos financeiros com o Estado em virtude da pandemia. A proposta restabelece os acordos de parcelamento de dívidas de ICMS cujos pagamentos não foram feitos entre 1º de março e 30 de junho. Agora, o texto será enviado à sanção do Governador Ratinho Jr (PSD).

Retomada da economia

“Essa é mais uma medida do grande esforço econômico que vem sendo feito para garantir que o Paraná sofra o menor impacto financeiro possível neste momento e, sobretudo, seja o primeiro Estado na retomada econômica no pós-pandemia. A estratégia para sair da crise está envolvendo fortalecimento do agronegócio, grande volume de investimentos públicos e aceleração dos projetos de concessão”, afirmou o deputado Hussein Bakri (PSD), Líder do Governo na Assembleia e relator do projeto do REFIS na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

MP quer rigor máximo

O Ministério Público do Paraná (MPPR) , por meio da Promotoria de Justiça de Proteção à Saúde Pública de Curitiba, questiona a matriz de risco adotada pela Prefeitura da capital para o enfrentamento da pandemia. A medida foi adotada porque, apesar do aumento expressivo do número de casos de contaminação por coronavírus na cidade, o prefeito Rafael Greca prorrogou por mais uma semana a vigência da bandeira amarela (nível 1 de alerta).

Morreu Nereu Massignan

O advogado, jornalista, escritor e ex-deputado estadual Nereu Carlos Massignan morreu em Dois Vizinhos, no Sudoeste do Paraná. Ele tinha 77 anos de idade. Nereu lutava contra o Mal de Alzheimer. Nereu começou a atuar como advogado em 1969, quando chegou a Dois Vizinhos, logo após a formatura em Direito, em Curitiba. Ele foi deputado estadual constituinte entre 1987 e 1990 pelo PMDB. Ele ajudou a escrever a Constituição do Paraná.

Professores ameaçam greve

O comando estadual de greve da APP-Sindicato convoca os professores da rede estadual de ensino para uma assembleia na quinta-feira. A reunião será on-line, com a primeira chamada marcada para as 13h30 e  a segunda, às 14 horas. Um dos pontos que estará na pauta é o início de uma greve geral em todo o Paraná. Os educadores vão discutir novas ações buscando o atendimento de reivindicações como a revogação do processo seletivo simplificado (PSS) que prevê a realização de prova presencial para cerca de 100 mil pessoas durante a pandemia.

Renovação de contratos

O pedido inclui ainda a renovação dos contratos de cerca de 9 mil funcionários de escola atualmente contratados pelo PSS. Caso contrário, todos esses profissionais serão demitidos pelo governo até o dia 31 de dezembro.

Fantasma da inflação

Pesadelo da maior parte das famílias, a inflação estimada para o ano subiu pela 15.ª semana consecutiva, segundo a pesquisa Focus, uma consulta feita pelo Banco Central (BC) junto a cerca de cem instituições do mercado financeiro. Em um mês a mediana das projeções para 2020 subiu de 2,99% para 3,45%. No mesmo intervalo a alta de preços calculada para o próximo ano passou de 3,10% para 3,40%. São más notícias para os consumidores, especialmente num período de pouco emprego, renda baixa e muita insegurança.

Fazendo as contas

No congresso da Abrapp, associação que representa os fundos de pensão, Paulo Guedes disse que “nós perdemos 350 mil empregos e pela recessão auto imposta pelo governo passado e já tínhamos perdido 650 mil empregos e é possível que até o fim do ano esse número caia para 300 mil”. E também falou da redução de despesas com juros, que somou R$ 200 bilhões nos dois primeiros anos de governo. Guedes espera economizar mais R$ 100 bilhões neste ano e mais R$ 100 bilhões no outro. “São R$ 400 bilhões em quatro anos de governo e isso é metade da reforma da Previdência”.

Não prescreve

Menos de uma semana depois do Dia da Consciência Negra e do assassinato no Carrefour de Porto Alegre, de João Alberto Silveira Freitas, o STF vai voltar, nos próximos dias, a julgar se injúria racial é crime imprescritível.

Questão ambiental

Está na Page Six do New York Post: Joe Biden, novo presidente norte-americano discute lançar, logo depois de sua posse em 20 de janeiro, uma campanha internacional de redução de emissão de poluentes, junto com a volta dos Estados Unidos, ao Acordo Climático de Paris. Resumo da ópera: Jair Bolsonaro deve passar, com a saída de Donald Trump, a ser o inimigo número 1 do mundo da questão ambiental.

Família unida

O PT também tem uma família unida para chamar de sua. É a turma de Jilmar Tatto, candidato derrotado nas eleições de São Paulo (e agora apoiando Guilherme Boulos). A família tem uma região na cidade batizada em homenagem ao grupo. É a Tattolandia, conjunto de bairros muito pobre da Zona Sul paulista que Jilmar e seus irmãos Ênio e Nilto Tatto transformaram no maior curral eleitoral urbano do país. Eles também são donos do diretório municipal do PT na capital paulista, de onde Jilmar saiu candidato por decisão dos caciques, sem passar pela votação dos aliados.

Sufoco

Uma em cada três família brancas dos Estados Unidos passaram por algum tipo de restrição orçamentária em razão da pandemia do coronavírus. As famílias negras foram alcançadas de forma mais dura: 60% delas passaram por dificuldade financeiras no mesmo período pandêmico. Entre as latinas, o impacto foi ainda mais grave: 72% dessas famílias foram atingidas severamente.

À venda

A Amil está vendendo as carteiras de planos de saúde individual dos usuários de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. A negociação envolve ainda os hospitais Paulistano, Caieiras e Sumaré, todos localizados em São Paulo e o Hospital Vitória, na capital do Paraná. A possibilidade de uma venda casada está sendo ofertada porque uma das estratégias dessa transação é vender a carteira de planos individuais para as operadoras verticalizadas. A Amil tem um total de 465 mil usuários de planos individuais, mas o que está à venda representa cerca de 370 mil beneficiários.

Sungas falantes

Primeiro brasileiro a assumir a representação da OEA em Belize, país monárquico, vizinho do México e Guatemala, com PIB anual de cerca de US$ 3 bilhões, o carioca Luiz Coimbra ficou surpreso há dias quando foi apresentar credenciais ao primeiro-ministro. Era o mesmo Dean Morrow que o cumprimentava sorridente, há dias, de sunga, num clube recreativo da capital Belmopã, onde os dois nadavam. Belize tem como chefe de Estado a Rainha Elizabeth, da Inglaterra.

Pendentes

A caminho do segundo turno da corrida eleitoral municipal existem 766 candidatos que foram eleitos que devem enfrentar outra disputa. Desta vez na Justiça eleitoral, para regularizar seus registros de candidatura. Eles tiveram sua candidatura deferidas pelo Ministério Público Eleitoral e agora dependem dos tribunais para assumirem os cargos. São 305 prefeitos, 98 vice-prefeitos e 363 vereadores que estão sob sub judice.

“Dependentes”

De acordo com o Relatório Agregado das Empresas Estatais da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Privadas do Ministério da Economia está embutido no custo bilionários das empresas sob controle do governo federal um tombo de R$ 17,1 bilhões referentes a subvenções (ajuda financeira para cobrir despesas das 18 estatais dependentes). O relatório é uma análise indireta no setor, cujas despesas de pessoal foram de R$ 101 bilhões apenas em 2019. Estatais como Empresa Brasil de Comunicação (Bolsonaro queria fechar e recuou) ou Telebrás (ainda existe) dependem do auxílio do Tesouro.

Frases

“Existe uma coalizão de centro-direita que venceu 2018 e agora ampliou sua participação nas prefeituras.”

Paulo Guedes, ministro da economia