Endividamento constante

866

O Brasil ainda tem muitos de seus trabalhadores endividados. Os motivos são o aumento da inflação, do desemprego, dos juros e da crise política, que afeta diversas outras áreas. De acordo com informações divulgadas pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o volume de consumidores com contas sem pagar cresceu 9% no primeiro semestre de 2019, na comparação com o final do ano passado. É a segunda menor variação nos atrasos, desde 2012, quando a inadimplência havia crescido 5,8% no primeiro semestre.

Quando analisado só o mês de junho, o volume de consumidores com contas sem pagar, e registrados em listas de inadimplentes, teve alta de 1,7% ante o mesmo mês de 2018. Até abril deste ano, eram 62,6 milhões de pessoas com atraso nas contas e dificuldade de voltar ao mercado de crédito, o que representa quase 41% da população adulta. Números como esses revelam que muito ainda precisa ser feito pelo governo e pela sociedade em geral para que a economia volte a respirar tranquila e dê aos brasileiros condições de uma vida mais estável.