As 10 maiores entidades do setor de transportes e logística entregam nesta terça-feira (4/9) a representantes do governo federal um estudo com sugestões ao PAC e ao PNLT.

As propostas serão apresentadas na 2ª Conferência Nacional de Infra-Estrutura Logística, que acontece no Centro Universitário Senac, Campus Santo Amaro (Av. Engº Eusébio Stevaux, 823), em São Paulo, das 8 horas às 18h30.

Os empresários do setor de logística entendem que o PAC e o PNLT não deixarão a infra-estrutura do país em condições de suportar o crescimento projetado pelo próprio governo, da ordem de 4% ao ano. E esta taxa já fica abaixo da verificada em outros países em desenvolvimento.

As empresas brasileiras deixam de ganhar US$ 40 bilhões ao ano por conta da precariedade da infra-estrutura de transportes do país. Isto equivale ao dobro do déficit da Previdência Social. O custo das organizações com a logística no país representa 12% do PIB nacional, enquanto nos Estados Unidos fica em 8%.

"Ao lançar o PAC e o PNLT, o governo reconhece a importância da logística para o crescimento, mas as obras previstas só vão recuperar anos de atraso e não suportarão mais desenvolvimento. Além disso, o governo apenas reconheceu a doença do país, mas o tratamento, que deveria ser de choque, está sendo feito a conta-gotas", avalia Robert Caracik Jr., presidente do Conselho Consultivo do evento, integrado por líderes de vários segmentos.

Além dos líderes das 10 associações de logística, está confirmada a presença do secretário nacional dos Transportes, Marcelo Perrupato, do Ministério dos Transportes.

As entidades que assinam o estudo são a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística), Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga (Anut), Associação Nacional de Transportes Ferroviários (ANTF), Associação do Desenvolvimento Multimodal (ADM), Agência de Desenvolvimento Tietê-Paraná (ADTP), Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), Frente Nacional dos Permissionários de Recintos Alfandegados – composta pela Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados (ABTRA), Associação Brasileira de Terminais de Contêineres de Uso Público (Abratec), Associação Nacional das Empresas Permissionárias de Portos Secos (ANPS) e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).