EMPRESA ITALIANA KERAKOLL CHEGA AO PARANÁ COM PRODUTOS ECOCOMPATÍVEIS

485

Rogério Sortino, diretor geral da empresa no Brasil.

O grupo italiano Kerakoll, gigante do mercado de construção civil na Europa, chega ao Paraná para dar continuidade ao processo de expansão no mercado brasileiro.  O grupo atua no Brasil desde 2016, oferecendo produtos como argamassas e rejuntes que possuem a marca da ecossustentabilidade, oferta inédita em nosso país para este segmento. O complexo industrial está instalado no município de Marialva,  Região Norte-Central  do Paraná.

Presente há apenas quatro anos na América do Sul, a empresa cresceu desde o início das operações e, em 2020, manteve-se estável e seguiu com as atividades de expansão, apesar da crise no setor provocada pela pandemia. Desde 2018, a matriz italiana do grupo está investindo cerca de 25 milhões de euros nas ações da marca no mercado brasileiro.

A Kerakoll conta com 200 colaboradores divididos nas fábricas de Jundiaí e Charqueada, ambas no interior de São Paulo. Para os próximos anos, a empresa pretende ampliar a atuação no mercado nacional, reforçando o compromisso socioambiental dos seus produtos junto aos consumidores.

“A missão da Kerakoll no Paraná, como em todo país, é levar soluções práticas com alta performance ao alcance de todos”, afirma Rogério Sortino, diretor geral da empresa no Brasil.

Equipe Kerakoll chegou no estado no dia 14 de setembro de 2020. A fábrica em Marialva já está pronta e funcionando.

Todos os produtos da Kerakoll seguem a filosofia GreenBuilding, termo que designa construções sustentáveis e de baixo impacto ambiental. As soluções da marca facilitam a circulação de ar no ambiente, prevenindo as principais patologias que derivam da poluição interior da edificação. Os materiais também são hipoalergênicos, não prejudicando a saúde dos profissionais da construção civil e dos moradores.

“Além da qualidade dos nossos materiais e do resultado final no empreendimento, nós nos preocupamos e trabalhamos para ter um produto ecocompatível, o que contribui também na salubridade do ambiente de trabalho, uma vez que precisamos pensar no profissional que atua na construção”, diz Sortino. “Essa é uma filosofia da Kerakoll e que nos diferencia no mercado nacional”.

Fundado em 1968, em Sassuolo, na Itália, por Romano Sghedoni, o Grupo Kerakoll é referência mundial em soluções ecocompatíveis, oferecendo produtos e consultoria técnica e de construção, sempre seguindo a filosofia de fazer diferente por meio da inovação sustentável. Com filiais em 16​ países e vendas em mais de 100, o grupo emprega tecnologia de ponta nas fábricas, contando com um centro de pesquisa de  excelência em materiais sustentáveis conhecido como GreenLab, avaliado em 14 milhões de euros.

Marialva, onde está instalada a Kerakoll,  esta localizada  na Região Norte-Central e é conhecido como a “Capital da Uva Fina”. Sua população estimada é de 35.000  habitantes, conforme dados de IBGE. Está próxima Maringá, Itambé, Mandaguari, Astorga de distante 430 quilômetros de Curitiba.

O nome dado à cidade é uma homenagem ao cavalheiro português D. Pedro de Alcântara de Menezes Noronha Coutinho (1713-1799) – o “Marquês de Marialva”. O termo vem da língua ugarítica “mhraby” que significa “vigor paternal”; “vigor ancestral”.

O município de Marialva foi criado pela Lei Estadual nº 790/51, sancionada pelo governador Bento Munhoz da Rocha, e instituída em 14 de dezembro de 1952, com a posse dos primeiros vereadores e do prefeito da cidade.


CURITIBA LIDERA ADOÇÃO DA RECEITA MÉDICA DIGITAL

Curitiba, capital do estado, lidera a lista das cidades que mais emitiram prescrições eletrônicas no período de janeiro a novembro de 2020

O uso da receita digital de medicamentos vem crescendo em todo o Brasil, desde a regulamentação da telemedicina em caráter de emergência. No Paraná não tem sido diferente. O volume de prescrições feitas digitalmente no Estado cresceu em 170% de janeiro até novembro deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. O número de médicos que passaram a usar a plataforma da Memed, healthtech pioneira e líder no mercado em prescrição médica digital no Brasil, também cresceu 82% no período. Além disso, são quase duas mil farmácias e drogarias dispensando medicamentos eletronicamente no Estado.

Ainda de acordo com os dados da Memed, Curitiba, capital do estado, lidera a lista das cidades que mais emitiram prescrições eletrônicas no período de janeiro a novembro de 2020, representando um volume de 30% do total; seguida por Londrina, Maringá, Pato Branco e Tibagi, entre outras.  Desde janeiro, 648 mil receitas médicas foram emitidas em todo o estado.

Dos quase 24 mil médicos que atuam no Paraná (os dados são da Demografia Médica de 2018), 23% – cerca de cinco mil médicos –  já utilizam a plataforma.

De acordo com Rafael Moraes, CMIO da Memed, a percepção clara dos inúmeros benefícios que a prescrição médica digital pode trazer tanto para médicos, como pacientes e drogarias, é um dos principais fatores para a rápida adoção.

“ Ao contrário do que muitos pensam, a receita no formato digital é muito mais segura do que a tradicional em papel. Além de garantir a pacientes e farmácias 100% da compreensão do que foi receitado, minimizando o problema da famosa “letra de médico”, ela evita fraudes, trazendo mais segurança para médicos e pacientes. Um carimbo e uma assinatura “físicos” são muito mais simples de serem falsificados do que a certificação digital”, ressalta.


REATIVAÇÃO DO AEROPORTO CRUZEIRO DO IGUAÇU

Lineu Tomass, Assessor de Relações Institucionais da Paranacidade e Claudio Quadri,  presidente do Consórcio Procaxias

Lineu Tomass, Assessor de Relações Institucionais da Paranacidade, em reunião recente com o prefeito Claudio Quadri ,  do município  Capitão Leônidas Marques, que também é presidente do Consórcio Procaxias composto por dez prefeituras. Lineu  informou a ele  que o processo de concessão da pista de pouso e terreno,  por parte do Governo do Estado,  só depende agora de um projeto de lei na Assembleia Legislativa que autorize tal concessão. O município Cruzeiro do Iguaçu  fica na região Sudoeste do Paraná, as margens do Rio Iguaçu e próximo a cidade de Dois Vizinhos.


BATE-PAPO SOBRE CENÁRIOS DO DELIVERY

A Masterclass 99Food + Sebrae , com participação gratuita, será nesta segunda-feira às 16h00.

Nesta segunda-feira, (07/12), a partir das 16h00, a 99Food, plataforma de delivery de comida que conecta consumidores aos melhores restaurantes locais promove em parceria com o Sebrae um bate-papo online para debater o cenário que os pequenos empreendedores enfrentam neste ano de pandemia e mais profundamente o que esperar para o ano de 2021.  A Masterclass 99Food + Sebrae é gratuita e direcionada aos proprietários de restaurantes de todo o país.

O diretor-executivo da 99Food no Brasil, Danilo Mansano, será um dos participantes. Ele irá tratar da importância de manter parceria com restaurantes e dos benefícios que a 99Food oferece, além de trazer dados interessantes sobre o crescimento e aprendizados do setor de delivery diante da pandemia, além do fortalecimento do setor, uma tendência forte para 2021.

O Sebrae tem trabalhado incansavelmente para o fortalecimento dos pequenos negócios, para a resolução dos gargalos e desafios potencializados pela pandemia e para a retomada segura das atividades. Para obter êxito, as parcerias são fundamentais, pois geram sinergia, potencializando as expertises de cada organização. Neste sentido, Sebrae e 99 são parceiros no ebook de retomada com segurança das atividades de logística, no material de retomada de alimentação elaborado pela 99Food, e no compartilhamento de vários cursos com conteúdo importantes para a qualificação de pequenos negócios de alimentação”, afirma o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick.

A Masterclass 99Food + Sebrae será exibido no canal de YouTube da 99Food no link a seguir: https://www.youtube.com/channel/UCHNfFbS4emD6mnoaIn1hxFw


 

PAINÉIS ELÉTRICOS  NÃO ATENDEM ÀS NORMAS

Engenheiro Eletricista Fábio Amaral, diretor da Engerey: ““Existe, ainda, a cultura de se comprar pelo preço”

Atualmente  no Brasil, 70% dos painéis elétricos comercializados não atendem todas as normas que estão em vigor. É o que afirmou o Engenheiro Eletricista Fábio Amaral, durante sua participação no Cinase, maior evento do setor elétrico da América Latina e que foi realizado neste ano de modo digital. 

Segundo Amaral, que é diretor da Engerey – especializada na montagem de painéis certificados – o principal motivo que contribui para que não existam muitos painéis do tipo no país é a falta de conhecimento do usuário final, que procura, na maioria das vezes, o preço mais acessível. “Existe, ainda, a cultura de se comprar pelo preço. E para se produzir painéis certificados e ensaiados é necessário um determinado perfil de montadores e temos poucos com o perfil no país. A empresa precisa, também, ser capacitada, ter uma equipe técnica treinada, processos claros e bem definidos. Estes requisitos elevam seu valor final”, diz Fábio Amaral.

Outro motivo que contribui para essa realidade é a falta de conscientização em relação aos perigos que a eletricidade apresenta e os riscos que a falta de certificação e realização de todos os ensaios dos produtos pode trazer para uma instalação elétrica, entre eles risco de vida, como choques que podem levar à morte, e ao patrimônio, como prejuízos com a paralisação de maquinário na indústria, por exemplo.


FALHAS NO ATENDIMENTO TELEFÔNICO

As ligações telefônicas voltaram a fazer parte da jornada do consumidor. Mas existem muitas falhas no atendimento

De acordo com levantamento realizado pela PhoneTrack, startup paranaense especializada em Inteligência Artificial aplicada à voz, as ligações telefônicas voltaram a fazer parte da jornada do consumidor. Os números apontam que ligações telefônicas são tendência e estão convertendo muito mais. Em 2016, 41% dos consumidores preferiam utilizar o telefone para entrar em contato com uma empresa após pesquisa on-line. O levantamento aponta que, em 2020, esse número saltou para 60%. Porém, o mesmo estudo mostra que as empresas ainda precisam se organizar melhor para dar conta desse aumento. Ainda segundo o levantamento, em média, amostras nacionais do segmento de varejo apontam que 20% das ligações de consumidores não são atendidas.

De acordo com o CEO da PhoneTrack, Marcio Pacheco, essa porcentagem pode variar de acordo com o segmento, “Em alguns setores, esse número chega a 50%, mas o fato é que muitas ligações estão sendo perdidas – principalmente em dias de semana, entre 18h e 19h, e aos sábados”, afirma. Segundo ele, com um celular em mãos está cada vez mais fácil fazer uma busca pelo Google para o que quer que seja. “Mais de 40% das buscas mobile no Google são por negócios locais e 70% dessas buscas terminam em uma ligação a partir do momento que o consumidor decide efetivar uma compra”, explica Pacheco.