Emoções influenciam mais que a razão na escolha de um novo imóvel

721

O que você leva em consideração na hora de escolher um imóvel? Localização? Preço? Metragem? Segundo Claudete Iwata, professora do curso de Negócios Imobiliários da EAD Unicesumar, a decisão pelo imóvel ideal vai muito além da razão. “Ela passa por aspectos psicológicos inconscientes, como proteção e amor, pois todo ser humano quer ter um lar e não apenas uma casa. O lar é um elemento emocional, o local onde boas coisas acontecem ao lado de pessoas confiáveis, que convergem para o seu sucesso, realização e felicidade. A casa, como espaço físico, precisa oferecer segurança, conforto e praticidade para garantir proteção e amor ao lar”, explica.
Claudete destaca que os aspectos racionais e emocionais trabalham juntos na escolha de um novo imóvel, mas que os irracionais prevalecem na decisão final. Sobre a localização, por exemplo, as famílias avaliam acesso rápido a serviços como transporte coletivo e supermercados, mas também consideram a iluminação pública, as vias de acesso e os registros de furtos e roubos na vizinhança, pois a questão da segurança está presente.
Segundo ela, diferenciais físicos dos imóveis também ampliam a percepção de conforto e comodidade, como cozinhas integradas com a sala de jantar, varanda espaçosa e integrada com o estar e áreas comuns nos condomínios para atividades físicas e horta, por exemplo. “Esses itens tornam a vida da família mais prática e cômoda e isso é levado em consideração na decisão de uma compra”, garante.
Luiz Gustavo Salvático, gerente regional da construtora Plaenge em Curitiba, comenta que esses traços emocionais são muito conhecidos para quem atua no setor imobiliário. “Não se trata de algo novo. Este é um comportamento desenvolvido pelo homem desde os primórdios, quando viu na caverna o lugar ideal para proteger sua família e oferecer conforto contra as intempéries”, lembra.
Na Plaenge, esses três aspectos inconscientes – segurança, conforto e praticidade – estão na base do planejamento e desenvolvimento de todos os empreendimentos, começando pela escolha dos terrenos, passando pelos projetos das unidades e chegando à escolha de todos os materiais usados nas suas construções. Isso ajudou a construtora a criar o padrão Plaenge, sempre com o uso de paredes duplas e venezianas acústicas (automatizadas via controle remoto) para evitar ruídos e controlar a luminosidade interna. Além disso, as paredes duplas, as torneiras de monocomando e os pisos aquecidos nos banheiros, aliados a uma completa infraestrutura para aquecedor de toalhas e desembaçador de espelhos, garantem o conforto térmico.