É Tudo Verdade reprisa filmes vencedores

316

Libelu – Abaixo a Ditadura, de Diógenes Muniz, e Colective, de Alexander Nanau, ganham exibições nesta terça, 6 de outubro. Os longas são vencedores do É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, criado e dirigido pelo crítico Amir Labaki. Os links para os filmes poderão ser acessados gratuitamente através do site www.etudoverdade.com.br com limite de visionamento de 1000 espectadores.

O vencedor da Competição Internacional de Longas/ Médias-Metragens, Colectiv, (Romênia/Luxemburgo), dirigido por Alexander Nanau, tem nova sessão neste dia 6, às 18h. O filme aborda a corrupção no sistema de saúde da Romênia. Em 2015, um incêndio na boate Colectiv, em Bucareste, matou 27 pessoas e feriu 180. Mais tarde, outras vítimas morreram nos hospitais. Quando um médico vaza informações, um grupo de jornalistas começa a revelar uma imensa fraude no sistema de saúde. Um novo ministro é nomeado e oferece a eles acesso sem precedentes aos bastidores de seus esforços para reformar um sistema corrupto. Um olhar firme sobre o impacto do melhor do jornalismo investigativo.

A sessão de Libelu – Abaixo a Ditadura, eleito como vencedor da Competição Brasileira de Longas ou Médias-Metragens , ganha nova sessão amanhã, 6, às 21h. O filme relembra os integrantes do grupo famoso pela irreverência, abertura cultural e combatividade. Libelu, depois, virou adjetivo, sinônimo de radicalidade e (para adversários) inconsequência. Quatro décadas depois, onde estão e o que pensam os jovens trotskistas que foram às ruas contra os generais?

As produções premiadas pelos júris do É Tudo Verdade 2020, nas competições brasileiras e internacionais de longas e médias-metragens e de curtas-metragens, estão automaticamente classificadas para apreciação à disputa pelo Oscar® do ano que vem.