“É muito importante pensar no fortalecimento da enfermagem”

359

Enfermeira especialista Marília Barbosa do Vale Pinheiro: “com  conhecimentos científicos e técnicos que adquiri,  posso ajudar a salvar vidas”

“Historicamente a enfermagem é uma das profissões  que mais vem sendo desenvolvida,  com grande destaque na área de saúde,  tornando-se atualmente uma das principais atividades  no mundo de  hoje. E devido a pandemia,  tem um importante papel  no combate ao Covid-19”.  O comentário é  Marília Barbosa do Vale Pinheiro,  que é enfermeira , brasileira, residente em Utah,  nos Estados Unidos,   entrevistada pelo  espaço BUSINESS WOMAN, enfocando a profissão de enfermeiros que tornaram-se atores principais dessa  trágica pandemia que vem assolando o mundo.

Ela  é  enfermeira especialista de urgência em emergência, com larga  experiência em  oncologia pediátrica e neonatologia, licenciada em  2020 pelo Montana Board of Nursing,  nos Estados Unidos. Marília nasceu em Teresopolis (RJ) ,   tem 31 anos e morou em Curitiba, onde exerceu sua profissão de enfermagem  num dos principais  hospitais pediátricos da  capital paranaense.

“Digo, com muito orgulho,  que ser enfermeira hoje é  um privilégio, pois com  conhecimentos científicos e técnicos que adquiri,  posso ajudar a salvar vidas. Isso é incrível. Tive a honra também trabalhar como professora ajudando a formar diversos técnicos de enfermagem. Hoje vejo o quanto isso valeu a pena me possibilitando conquistar inclusive um reconhecimento profissional internacional, salientou.

Para Marilia B. do Vale Pinheiro “o  enfermeiro é um líder e a sua liderança reflete na sua equipe. É uma pessoa que precisa estar atenta a todos os detalhes e  ações de sua equipe promovendo assim uma assistência de enfermagem segura.”  E acrescenta: “Os enfermeiros são essenciais dentro do sistema de saúde, pois afinal são eles que estão presentes durante todo o tratamento de pacientes, ou seja, desde a internação até a alta”.

Depois de salientar que “a enfermagem é um das poucas profissões na área de saúde que consegue mesclar a humanização com a parte cientifica”, ela enfatiza ainda que “os enfermeiros estão presentes nas escolas, nas unidades básicas de saúde, nas empresas, nos hospitais, clínicas de estéticas, enfim em uma variedade imensa de lugares”.

E acrescenta Marília: “hoje,  acredito que  assim como eu muitos profissionais da área da enfermagem não olham  somente como um profissional  científico e técnico.  Mas como um ato de amor, de doação e de serenidade com o próximo. Principalmente hoje na situação extrema que estamos vivendo. Somos nós enfermeiros e enfermeiras que estamos na linha de frente, a beira leito do  paciente segurando sua mão dando nosso melhor, independente de cor, gênero, escolaridade.”

Para ela  “os enfermeiros tornaram-se atores principais dessa trágica pandemia. Esse protagonismo se deve pela atuação corajosa, efetiva e ininterrupta dentro dos hospitais”. E prossegue:  “O Brasil inclusive vem exportando um número considerável de enfermeiros para países como Canada e Estados Unidos, onde esses profissionais  estão encontrando um reconhecimento financeiro diferente, infelizmente,  daquilo que estão   vivenciando no Brasil. A valorização da carreira pode perdurar se os enfermeiros forem capazes de ter uma articulação maior entre si, inclusive na política.”

Recorda  ela, que “quando atuava  como enfermeira do Setor de Oncologia e Hematologia Pediátrica, em Curitiba,  mesmo com dias exaustivos saia do hospital com a sensação de dever cumprido pois dei o meu melhor.  Me doei por inteiro, para que aquela criança hoje se sentisse bem e  mais,  que seus pais se sentissem seguros por ter uma profissional capacitada e disposta a oferecer o que há de mais eficaz.”

“É importante também  lembrar  que 2020  foi  considerado um grande marco para a enfermagem no mundo. Tanto que  a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) oficializou como ano internacional dos profissionais da Enfermagem e das Parteiras”, disse  Marília  do Vale Pinheiro

Mais adiante ela comentou  “que é muito importante pensar no fortalecimento da enfermagem para que a sociedade perceba que nós, profissionais, fazemos a diferença.  Essa luta contra o corona vírus  fez com que  antigos problemas da área, como a sobrecarga dos profissionais e o desgaste das equipe viessem ao debate. E além disso  chamou a atenção para necessidade de investimentos e especialização no setor, além de debates sobre o do piso salarial, falta de equipamentos de segurança para evitar o contágio, entre outras coisas”.

Programa de Redução de Salário e Suspensão de Contrato de Trabalho

Advogada Mayse Silveira Régis: “as negociações diretas, relativas à redução de salário, não serão mais permitidas”

A Medida Provisória (MP) 936  convertida em  Lei n° 14.020/ 2020 ,  terminou no dia 31 de dezembro de 2020. As medidas de redução proporcional de jornada e salário e suspensão de contrato de trabalho foram adotadas por muitas empresas como forma de evitar demissões durante a crise causada pela pandemia.

Segundo a advogada Mayse Silveira Régis, “com o término do prazo para a utilização das medidas e sem novos decretos para prorrogações, as negociações diretas, realizadas  por acordo individual entre empregado e empregador no que se trata em questões relativas à redução de salário, não serão mais permitidas, ficando obrigada a participação do Sindicato da categoria, conforme preconiza a Lei trabalhista.”

E prossegue a advogada: “Assim, no caso de ocorrer redução dos períodos de atividade das empresas em decorrência de lockdown decretado pelo Estado, com a consequente redução das horas trabalhadas, as empresas não poderão deixa de pagar o salário correspondente às horas não trabalhadas.

Poderão, no máximo, se houver acordo de compensação de jornada firmado entre as partes (empregado e empregador), compensar as horas não trabalhadas, conforme o que determinar o respectivo acordo, em cada caso concreto.”

A advogada Mayse Silveira Régis, é integrante do escritório  Régis, Saldanha e Vieira Advogados que tem o advogado João Carlos Régis, Assessor Jurídico da Associação Comercial do Paraná (ACP) como um dos titulares.

Grupo de trabalho para discutir a crise hídrica

Isabella Francesquini : “crise hídrica  é algo que tem afetado Curitiba e região de uma maneira alarmante’’

Completando quase um ano, a crise hídrica no Paraná já é considerada a maior dos últimos 50 anos. Por isso, pensando em ajudar o setor privado a encontrar alternativas para a economia de água, a Amcham Curitiba (Câmara Americana de Comércio) criou um Grupo de Trabalho para discutir o tema.

De acordo com a coordenadora regional da Amcham Curitiba, Isabella Francesquini, o Grupo de Trabalho tem o objetivo de tratar de pautas práticas e aplicáveis entre as empresas. ‘‘Esse compartilhamento entre executivos tem grande valor no apoio entre pares e para as organizações como um todo, que ainda buscando melhores formas de contribuir com a economia de água e com o encerramento da crise hídrica, que é algo que tem afetado Curitiba e região de uma maneira alarmante’’, diz. ‘‘Queremos aumentar o número empresas participantes, auxiliar na discussão sobre o tema e buscar soluções práticas e inovadoras para a crise’’, afirma.

Oportunidade de negócios Pós-Brexit

O LIDE Paraná promove nesta   terça-feira, (2) um encontro com o presidente do LIDE Reino Unido, Breno Silva, e o Cônsul Adam Petterson. Em pauta as oportunidades de negócio Pós-Brexit (Brexit é o  termo é usado para se referir à saída do Reino Unido da União Europeia (UE).. Segundo a presidente do LIDE Paraná, Helo Garret, “o  encontro que segue a pauta de comércio exterior da entidade,  será presencial e seguirá todos os protocolos de segurança estabelecidos pela OMS (Organização Mundial de Saúde)”.  Como as vagas são limitadas, as confirmações serão por ordem de inscrição no e-mail rsvp@lideparana.com.br.