“É muita patifaria”

390

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) integra a frente parlamentar que vai acompanhar o encerramento dos contratos do pedágio no Paraná e também o novo modelo de concessão proposto pelo governo federal. “É uma patifaria que fizeram com os paranaenses. Eu sempre questionei esses acordos de leniência feitos pelo MPF com as concessionárias, mas apenas cinco das 16 obras foram iniciadas. Vão acabar os contratos e as obras não serão concluídas. É muita sem-vergonhice”.

A primeira reunião da frente será por videoconferência nesta segunda-feira, 14, a partir das 10h, e poderá ser acompanhada pela TV Assembleia, portal e redes sociais do legislativo. Romanelli diz ainda que os paranaenses exigem a execução das obras conforme previsto nos contratos originais. “Temos que fazer uma auditoria completa para avaliar os bens móveis e imóveis que as concessionárias vão deixar para o Estado, mas também para inspecionar as obras realizadas, tais como viadutos, trincheiras, bueiros”.

Novo modelo

Os atuais contratos das concessionárias terminam em novembro de 2021. Romanelli votou, junto com outros dois deputados contra o atual modelo de pedágio. “É uma luta de mais de 20 anos. Teve até interdito proibitório para que não participasse das manifestações e não foram poucas”.

Acompanhamento

Romanelli defende ainda que o IBT (Instituto Brasil Transportes) acompanhe não só todo o processo de encerramento dos atuais contratos como também o novo modelo proposto. “O IBT já fiscaliza o cumprimento das obrigações assumidas pelas concessionárias que atuam no chamado anel de integração”, explica.

Festa no Nordeste

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, considera fundamental que Bolsonaro entregue no ano que vem o Ramal do Agreste Pernambucano, apêndice da transposição do rio São Francisco. É um dos principais projetos identificados por Marinho na região que, hoje é, a menina dos olhos do presidente. Cerca de R$ 600 milhões serão necessários para a conclusão das obras, recursos que não estão garantidos no Orçamento 2021. O ramal é a joia mais valiosa no colar de projetos hídricos do Nordeste.

Verbas adicionais

A projeção é que o Ministério do Desenvolvimento Regional precisará de algo em torno de R$ 1 bilhão em verbas adicionais para acelerar a implantação desses empreendimentos já contabilizando obras tocadas por governos estaduais com recursos da União. Entram nesse rol de projetos o Canal do Sertão Pernambucano, a Adutora do Agreste Pernambucano, o Cinturão das Águas do Ceará e as Vertentes Litorâneas da Paraíba, entre outros. Cada um representa uma solenidade de inauguração a mais para Bolsonaro, de olho na reeleição.

Discursos

Dias Toffoli despediu-se da presidência do Supremo com direito a discursos surpreendentes. Augusto Aras comparou-o às flores do Cerrado e em nome da OAB, o advogado Marcus Vinicius Furtalho Coelho disse que a coragem “é característica central” de Toffoli. Antes, recebeu homenagem especial do presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins: “Todo poder emana do povo. E Toffoli é o povo, o Toffoli é poder”. E Davi Alcolumbre disse que ele tem “a coragem dos grandes líderes”.

“O que eu precisar”

Luiz Fux vai comandar o Supremo até setembro de 2022. Ele tem dito que procurará descolar o tribunal dos interesses do Planalto. Na despedida de Dias Toffoli, contudo, Bolsonaro tratou de lembrar: “Vossa Excelência falou para mim: o que eu precisar do STF, assim como eu tive como Dias Toffoli terei também com Vossa Excelência”. O tempo dirá.

Vice, não

Marta Suplicy não será vice na chapa de Bruno Covas que concorrerá à reeleição na prefeitura de São Paulo. sem a vaga da vice garantida, o Solidariedade resolveu não apoiar Covas. Marta diz que apoiará o atual prefeito mesmo que seu partido não o faça. Por enquanto, também se dedica à formação de uma frente ampla em oposição a Jair Bolsonaro, que não decolou até agora. O Republicanos também não decidiu até agora se Celso Russomano apoiará Covas ou fará um voo solo.

Paranoia

O governo Bolsonaro tensionou o ambiente federativo. Governadores da oposição estão cismados com o “acordo de cooperação técnica” que a Abin vem propondo aos Tribunais de Contas dos Estados – um dos primeiros foi fechado no TCE do Amazonas. O cruzamento de dados permitirá à Agência ter na mão todas as finanças dos estados e municípios por um período de cinco anos.

Chegando

Dirigentes da Huawei virão ao Brasil em outubro para reuniões em Brasília. A empresa é forte candidata a fornecer o 5G no Brasil.

Estilo Pilatos

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, comandado por Simone Tebet, já prepara a pia para lavar as mãos. A comissão pretende empurrar para o STF a decisão sobre a possibilidade de Davi Alcolumbre concorrer ou não à reeleição para a presidência da Casa. A manobra tem seguidores entre importantes lideranças do Congresso. E o Senado quer tirar do seu colo o desgaste da votação de uma PEC à toque de caixa.

 

Devagar

Pedidos de patente classificados como “prioritários” estão levando, em média, um ano e um mês para serem analisados pelo IPINI. Essa letargia inclui medicamentos especiais dedicados ao combate ao câncer.

Saúde

O GIC, fundo soberano de Cingapura vai usar o IPO do Grupo D’Or para vender integralmente sua participação. Não pode se queixar: quando entrou, em 2015, na companhia, o D’Or estava avaliado em R$ 20 bilhões. No IPO, seu valuation está estimado em R$ 100 bilhões.

Castigo

A Lava Jato vai sofrer mais um constrangimento dentro do próprio MPF. Integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público estão reabrindo o Procedimento Administrativo Disciplinar contra o procurador Diogo de Mattos. Em 2019, ele ex-integrante da força-tarefa, comprou espaço de outdoor em Curitiba para elogiar a Lava Jato. Na época, com Moro no comando, a investigação foi arquivada. Agora, o vento mudou de direção.

Farra

Senadores e deputados já torraram este ano R$ 95 milhões com o cotão, verba que usam para ressarcir quaisquer despesas, apesarem de estarem todos em casa. Desse total, mais R$ 28 milhões foram para “divulgar atividade parlamentar”, ou seja, propaganda pessoal.

Pobres

No terceiro acompanhamento do auxílio emergencial, o TCU verificou que o governo direcionou mais de 50% dos recursos a domicílios enquadrados entre os 30% mais pobres do país. E à propósito, segundo o Portal da Transparência, dos R$ 420 bilhões empenhados para combater a pandemia, R$ 350 bilhões já foram pagos. Mais da metade (54%) equivale a pagamentos de auxílio emergencial.

Super lucro

A operação que, em julho, cedeu uma carteira de crédito de R$ 2,9 bilhão do Banco do Brasil ao BTG Pactual, instituição fundada por Paulo Guedes, pode dar um lucro ao portador de R$ 1,7 bilhão. A carteira foi vendida ao BTG Pactual por R$ 371 milhões, com potencial de recuperação de 70%. A maior parte é composta de financiamentos imobiliários, ou seja, em caso de inadimplência, imóveis podem ser tomados para quitar os empréstimos.

 

 

 

Vanusa

A cantora Vanusa, 72 anos, está internada no Complexo Hospitalar de Santos, 40 quilos mais magra e perdeu todos os dentes. Ela sofre de um tipo de demência e o corpo está todo machucado (escaras) pelo tempo que passa na cama. Quem conta é o filho Rafael Vanucci, que deixa a mãe no hospital. Não tem como cuidar dela.

 

Candidato

Logo depois de reclamar que tem sido prejudicado na eleição a presidente do Senado em 2019, Renan Calheiros (MDB-AL) disse que “nenhuma hipótese, será candidato”. Ninguém acreditou.

 

Dinheiro vivo

O ex-presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz, revelou em delação premiada  que o atual presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, pediu dinheiro “em espécie” para sua campanha de reeleição da OAB do Rio, em 2014. O dinheiro foi viabilizado em um contrato de fachada.

 

Imexíveis

A Câmara dos Deputados, o segundo parlamento mais caro do mundo, tem 9.565 “secretários parlamentares” com salários altos, além dos 1.761 cargos de natureza especial (CNE). Nisso, Rodrigo Maia não mexe.

 

Saúde

Um dos ministros do Supremo Tribunal Federal enfrenta, com discrição, tratamento de um tumor.

 

Vai a pé

É a nova piada da Fiesp: Josué Gomes (Alencar) mora, em São Paulo, num edifício no cruzamento da rua Pamplona com Alameda Itu. A área é muito próxima da Fiesp e os mais irônicos dizem que ele pode ir a pé. As eleições são em 2021 e José Ricardo Roriz Coelho é o nome de oposição.

 

Campeão

A hidroxicloroquina, que tem Bolsonaro seu maior garoto-propaganda, passou a ter companhia no país da automedicação. A ivermectina entrou na lista dos cinco medicamentos mais vendidos no Brasil de janeiro a julho. Mesmo sem qualquer comprovação cientifica de eficácia por parte da OMS, o vermífugo passou  a ser usado em larga escala como prevenção da Covid-19.

 

Errou

Em 27 de março, o Imperial College, do Reio Unido, divulgou previsão de infectados e mortos pelo coronavírus para o mundo. Até agosto, no Brasil, seriam 187 milhões de infectados e 1,1 milhão de mortes, dizia o mais pessimista dos cinco cenários do mundo. ganhou manchetes, mas era fake. A principal voz do pior cenário da Imperial, curiosamente, virou “expert” contratado pelo TSE para ensinar o que é e o que não é fake news.

 

Dupla

Os ministros Rogério Marinho e Tarcísio Freitas estão trabalhando para tirar do papel a linha 2 do metrô de Belo Horizonte. Freitas tem cuidado das tratativas com a prefeitura de BH e Marinho assumiu as conversas com a AGU para liberação dos recursos provenientes da multa de R$ 900 milhões aplicadas pela ANTT à Ferrovia Centro-Atlântica. É daí que sairá parte do dinheiro para financiar a obra na capital mineira.

 

Em família

Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, dedica-se a uma articulação doméstica: tenta angariar apoio de Bolsonaro à candidata do PP à prefeitura de Curitiba, Cida Borghetti, que vem ser sua mulher. Nas pesquisas, ela aparece com apenas 2%. O líder das pesquisas é Rafael Greca, com 40%.

 

Ideia fixa

Luciano Hang, que agora aparece nos comerciais de liquidação das lojas Havan, anda paranoico com a hipótese do STF disparar algum fato novo contra ele na reta final do processo de abertura de capital na rede varejista. Hang é um dos suspeitos de financiar um suposto esquema de fake news a favor do governo Bolsonaro.

 

Nova área

Depois de sair do capital das hamburguerias Madero e enquanto a eleição não vem (para ele, pode ser que talvez não venha nunca), Luciano Huck está se juntando a outros empreendedores para investir em startups da área da saúde. O foco do bloco são projetos voltados à população de baixa renda.

 

Troca de lado

A Liberty Media, dona da Fórmula1, está sondando a ESPN sobre o interesse de adquirir direitos de transmissão da categoria no Brasil. A emissora exibe a F1 nos Estados Unidos. A Globo já avisou que não quer renovar contrato com a Liberty Media. Ao menos não nos termos atuais.

Remake

A Globo comprou os direitos e irá fazer um remake da novela Pantanal, grande sucesso nos anos 90, estrelado por Cristiana Oliveira. A trama será escrita por Bruno Luperi, com supervisão de Benedito Ruy Barbosa e a direção deverá ficar de novo por conta de Jayme Monjardim.  O elenco já está sendo escolhido e as gravações deverão começar no início de 2021. Correm boatos que Juma personagem principal da trama ficará com Rafa Kalimann, ex-BBB que está fazendo aulas de intepretação. Outros nomes que surgiram foram o de Bruna Marquezine, Camila Pitanga e Juliana Paes, todos não caem no gosto popular. E mais outro nome que vem surgindo forte é de Vanessa Giácomo, mas há quem aposte em Cleo. Aliás Gloria Pires, mãe de Cleo, já tem seu nome aprovado pela direção junto com Antônio Fagundes e Edson Celulari.

Brincadeira

Ainda Pantanal: nesta corrida para saber quem irá assumir o papel principal da novela a comediante Tatá Werneck, brincou em suas redes sociais: “Gente! Aceitei o desafio de fazer Juma Marruá no remake de Pantanal. Ninguém sabe ainda. Quero fazer uma surpresa pra Globo. Vou chegar no primeiro dia de gravação pronta e a produção que lute”. E depois completou “Falei com a produção: estão entre me colocar pra Juma, fazer um arbusto ou me colocar pra fora. Vamos torcer gente”.

Frases

“Não vamos permitir mais trapaças de empresários desonestos.”

Luiz Cláudio Romanelli, deputado estadual