O dólar reverteu ganhos iniciais e fechou em queda contra o real nesta segunda-feira, pressionado por um clima internacional ameno e pela valorização de várias commodities, embora receios fiscais domésticos continuassem rondando os mercados, devendo manter a volatilidade elevada.

A moeda norte-americana à vista caiu 0,32%, a 5,2352 reais, depois de oscilar entre 5,2760 reais na cotação máxima (+0,46%) e 5,2027 reais na mínima do dia (-0,93%).

Com esse desempenho, o dólar teve sua terceira queda em 15 dias de negociação. Na semana passada, a moeda encerrou no maior patamar desde fevereiro passado.

As maiores cotações desta segunda-feira foram alcançadas durante um movimento agudo de proteção diante de riscos políticos e fiscais domésticos, mas isso não se sustentou pelo resto do pregão por conta de um ambiente internacional positivo, disse à Reuters Fernando Bergallo, diretor de operações da FB Capital.

No exterior, o dólar acelerou perdas contra uma cesta de moedas fortes após a divulgação de dados robustos sobre a economia norte-americana nesta segunda-feira. As encomendas de bens produzidos nos Estados Unidos avançaram acentuadamente, enquanto as vendas pendentes de moradias também subiram, contrariando expectativa de forte baixa e reduzindo, por ora, temores de recessão.

Na B3, às 17:06 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,27%, a 5,2400 reais.

Fonte: Reuters