O dólar caiu cerca de 1% na manhã desta sexta-feira, devolvendo a alta registrada na sessão anterior após uma grande operação de compra futura realizada por um banco estrangeiro.

Na quinta-feira, o dólar encerrou em alta de 0,70% depois que um banco de investimento estrangeiro, segundo operadores, comprou o equivalente a US$ 1 bilhão no mercado futuro. A compra surpreendeu os agentes, que ficaram mais cautelosos e sustentaram a alta da moeda.

"Essa operação na BM&F (Bolsa de Mercadorias & Futuros) provocou um movimento em manada de compra de moeda no mercado futuro, que pressionou por tabela as taxas do dólar à vista", disse Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora, em relatório.

De acordo com a diretora, a compra foi realizada para a cobertura de uma operação de troca de spread entre reais e dólares feita em Nova York. No entanto, "como não se sabia o motivo dessa compra por uma instituição estrangeira, o mercado zerou posições vendidas, pressionando as cotações".

Segundo Francisco Carvalho, gerente de câmbio da corretora Liquidez, "se não tivesse essa operação (na quinta-feira), o dólar teria que estar nesse nível, a 1,86, 1,87 (real) no máximo".

Para ele, o mercado retoma nesta sexta-feira a tendência de queda, favorecida pelos fundamentos – como o fluxo cambial positivo – e pelo "dia calmo lá fora", com alta nas principais bolsas de valores. "A não ser que apareça alguma operação, alguma coisa", ressalvou o gerente.