O dólar reverteu perdas de mais cedo e fechou em alta frente ao real nesta quarta-feira, acompanhando piora nos mercados internacionais conforme investidores digeriam comentários do chair do Federal Reserve, Jerome Powell, enquanto riscos domésticos seguiram no radar.

A divisa norte-americana à vista subiu 0,50%, a 5,1791 reais na venda, depois de ter chegado a cair 0,50%, a 5,1274 reais, em certo ponto das negociações.

Na B3, às 17:11 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,92%, a 5,1915 reais.

O fortalecimento do dólar no mercado doméstico ante os menores patamares do pregão acompanhou uma melhora no desempenho do índice da divisa norte-americana contra uma cesta de rivais fortes, que, embora ainda estivesse em queda nesta tarde, estava bem acima das mínimas intradiárias.

A divisa norte-americana também acompanhou uma piora em Wall Street, cujos principais índices abandonaram ganhos acentuados de mais cedo para fechar praticamente estáveis nesta terça-feira.

O foco do dia esteve em comentários de Powell ao Congresso dos EUA, em que ele afirmou que o Federal Reserve está “fortemente comprometido” em reduzir a inflação –a mais intensa em 40 anos– e reconheceu os riscos que juros mais altos podem representar para a atividade da maior economia do mundo.

Gustavo Cruz, estrategista da RB Investimentos, disse que os comentários de Powell não têm grande relevância para o curto prazo, já que a autoridade não deu indicações explícitas sobre qual será a magnitude dos próximos aumentos de juros pelo Fed.