A Dívida Pública Federal, que contabiliza as dívidas interna e externa, aumentou 1,77% em agosto, comparada a julho, aumentando de R$ 1.289,4 bilhões para R$ 1.312,3 bilhões.

A Dívida Pública Federal, que contabiliza as dívidas interna e externa, aumentou 1,77% em agosto, comparada a julho, aumentando de R$ 1.289,4 bilhões para R$ 1.312,3 bilhões.

Em agosto emissão líquida em papéis foi de R$ 3,4 bilhões e a apropriação de juros de R$ 19,5 bilhões.

A dívida interna, isolada, aumentou no período 1,53%, passando de R$ 1.171,1 bilhões para R$ 1.189,1 bilhões. A dívida externa aumentou 4,15%, encerrando o mês de agosto em R$ 123,2 bilhões, o equivalente a US$ 62,8 bilhões.

O Tesouro Nacional arcou com R$ 2,6 bilhões na administração da dívida entre janeiro e agosto, com a recompra de títulos da ordem de R$ 8,8 bilhões e desembolso financeiro de R$ 11,4 bilhões.

Os vencimentos da Dívida Pública Federal para os próximos 12 meses apresentaram ligeiro aumento, passando de 31,28% em julho para 31,56% em agosto (R$ 414,1 bilhões).

O volume de títulos da dívida interna em poder do público, a vencer nos próximos 12 meses aumentou 34,09%. Esse montante envolve títulos indexados (56,78%) mais os títulos vinculados à taxa anual de juros (Selic), com participação de 31,06% nos vencimentos em 12 meses.

O percentual da dívida externa a vencer em 12 meses representa 7,10% do seu estoque. Ela está indexada em dólar na margem de 70,04% do total.