A produção de petróleo nacional atingirá o pico de produção de 2 milhões de barris/dia até o final deste ano.


Estrella afirmou que a entrada em operação da P-54 é a consolidação da auto-suficiência brasileira em petróleo. "Acreditamos que até o final do ano atinjamos o pico de 2 milhões de barris por dia, juntando a P-54 e a P-52, que vai entrar em operação também, mais o FPSO [Floating, Production, Storage and Offloading] de Golfinho [plataformas montadas sobre o casco de navios petroleiros], no Espírito Santo, e a plataforma de Piranema, na Bacia de Sergipe", disse.

A nova plataforma vai operar no Campo de Roncador, na Bacia de Campos, a 145 quilômetros da costa, em lâmina d´água de 1.400 metros. A capacidade de produção é de 180 mil barris diários – cerca de 10% da produção nacional atual -, e começa a operar em outubro próximo.

O custo de construção foi de US$ 900 milhões, com a geração de 10 mil empregos indiretos e 2.500 diretos. A obra levou 41 meses.