Um bom momento para crianças e adultos é o que proporcionam vídeo, sons, arte gráfica e poesia da instalação sensorial Folclore Digital, da dupla VJ Suave (Ygor Marotta e Cecilia Soloaga), reconhecida internacionalmente pelo trabalho com intervenções e mídias digitais. O trabalho traz as lendas brasileiras, combinando grafite digital, personagens animados, luzes e música.

“O público sentirá que penetrou em um outro mundo, em que monstros correm em suas costas e animais se transformam em pessoas sob a luz das estrelas. Som ambiente também é incorporado, criando um cenário acústico e imagético”, descreve Ygor Marotta, que explora as lendas do boto-cor-de-rosa, curupira, mula sem cabeça e saci-pererê. A trilha eletrônica utiliza tambores africanos e cantos indígenas.

Os dois videomarkers moram em São Paulo e seus trabalhos já passaram pela Espanha, Suíça, Eslováquia, Argentina, Alemanha e Rússia. Gravaram também quatro curtas metragens: Trip, La cena, Homeless e Run. Entre suas performances mais conhecidas está suaveciclo, um triciclo adaptado para projetar imagens nas ruas, muros e fachadas.

Visite: Caixa Cultural Curitiba (Rua Conselheiro Laurindo, 280), até 28 de junho, de terça a sábado das 10 às 20h. Domingo, das 10 às 19h. Entrada franca.

Machado de Assis vai ao palco

Memórias Póstumas de Brás Cubas, espetáculo dirigido e adaptado por Edson Bueno, é a surpresa da Delírio Cia de Teatro reservada para o teatro. O romance publicado em 1881 é uma das grandes obras literárias e já foi roteirizado para o cinema. Para o palco, ganhou o título Memórias Póstumas + Machado de Assis e conta com atuação dos atoresDiogo Biss, Robysom Souza e Thierry Lummertz.

Encenar Machado, diz o diretor, “é abrir uma porta para o melhor da cultura brasileira e uma oportunidade rara de pensar e refletir com o teatro e com a escrita original de um dos mais importantes romancistas de nosso país”.Memórias Póstumas de Brás Cubas conta uma história pelas lembranças do protagonista, mas que está irremediavelmente morto. E, assim, livre para dizer o que pensa, sem ter nada a temer. A sutileza e a provocante ironia, ao lado da revolucionária originalidade literária, são a argamassa dessa obra monumental.

“Machado de Assis conversa abertamente com o leitor, rompendo com diversos conceitos da escrita linear ou formal. Ora erudito, ora popular, ora didático, ora poético ao extremo, ele desliza sua literatura em pouco mais de 300 páginas de puro prazer e genialidade”, diz Edson Bueno, para quem fazer essa adaptação  para o teatro, apropriando-se da invenção machadiana é, ao mesmo tempo, uma reverência e uma homenagem ao maior romancista brasileiro:

– Levar esta história para o teatro é puro exercício de interpretação. Mais do que criação de personagens, é colocar o ator num estado de interpretação onde a intimidade da plateia aprofunda-se à medida que a literatura assim exige.

Agende-se: a peça estreia nesta quinta dia 21, no mini Guairinha, às 20h.

Em cartaz até 7 de junho, de quinta a domingo, às 20h. Ingressos a 43 e 21,50 reais.

Descobrindo PlaftPet

A DesCompanhia de Dança ocupa o Teatro Eva Herz/Livraria Cultura com seu primeiro espetáculo de dança para crianças, Descobrindo PlaftPet, dirigido por Cintia Napoli e  Juliana Adur. O tema é ecológico, apresentado de forma lúdica pelos Gruns, seres de outro mundo que ensinam como reaproveitar embalagens plásticas. Os bailarinos criadores são Mariana Mello, Peter Abudi e Yiuki Doi. Tilha sonora de Edith de Camargo, luz de Lucas Amado, cenário de Eduardo Giacomini e figurinos de Eduardo e Olga Nenevê.

Temporada de 29 deste mês a 13 de junho, sendo nas sextas às 20h, sábados às 15h e às 19h, aos domingos às 16h. Ingressos a 20  e 10 reais.

 ETs na página e no bar

ETs-na-página-e-no-barDomingos Segunda-feira (Domingos Francisco Martins Araújo) autografa o livro Roswell – Um Sobrevivente, nesta terça dia 19, às 19h30, no Bar Brahma (Av.Getúlio Vargas). O autor reporta o famoso caso Roswell, ocorrido em 1974, quando uma nave espacial teria caído no Novo México. Seu relato, que diz ser baseado em um dos tripulantes da nave na época, aborda a criação do Universo, a técnica da construção das pirâmides, os sete estados da matéria, o metal transparente, a luz sólida, as ondas mega ultra curtas e a bobina trixizada, um sistema motriz de espaçonaves. O principal objetivo do livro é transmitir essa tecnologia para os terráqueos.

COMPARTILHAR
AnteriorPelos hotéis
PróximoFortalecimento empresarial