foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

A nova presidente da Caixa Econômica Federal, Daniella Marques, defendeu nesta segunda-feira (4) as punições necessárias ao ex-presidente da empresa Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual.

De acordo com Daniella Marques, o banco vai apurar com “rigor” as denuncias.

“Asseguro: será tudo feito com independência, com rigor, com seriedade, e se realmente for comprovado, todas as punições que são cabíveis serão feitas”, disse em entrevista à GloboNews

Daniella, assessora de confiança do ministro da Economia, Paulo Guedes, toma posse na terça-feira, 5. Ela chegou à presidência do banco público após a queda de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual por funcionárias da Caixa. Guimarães, que deixou o cargo na última quarta-feira, nega as acusações.

Daniella disse que o assunto é “para já”. “Metade das mulheres do Brasil são vítimas de assédio no trabalho, então a Caixa, que sempre foi o banco de todos os brasileiros, daqui para frente, e eu tenho aprovação de todos os órgãos internos, vai ser a mãe da causa das mulheres”, pontuou.

Daniella assinou o documento de posse na sexta-feira (1). Ela é próxima do ministro da Economia Paulo Guedes. O ministro trabalhou com a nova titular da Caixa na Bozano Investimentos, antes de ser convidado a assumir a pasta no governo Bolsonaro, e a levou para sua equipe.

A nova presidente da Caixa atuou como chefe da Assessoria Especial de Assuntos Estratégicos de Guedes desde o início do governo, em 2019. Ela é formada em Administração pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro e tem MBA em Finanças pelo IBMEC/RJ.

Com sites