DadoCast recebe Gustavo Fruet

289
Deputado federal Gustavo Fruet com o advogado Carlos Eduardo Manfredini Hapner

Os caminhos que a nova política deve percorrer para representar, de modo legítimo, os interesses dos brasileiros, foram delineados pelo deputado federal Gustavo Fruet no programa DadoCast, comandado pelo advogado Carlos Eduardo Manfredini Hapner. O podcast foi ao ar no dia 21 de junho, e está disponível em celular, tablet e computador (dadocast.com) e na maioria dos tocadores, dentre eles Spotify e Apple Podcast. O ex-prefeito de Curitiba falou sobre os reflexos da pandemia na vida política e fez considerações muito positivas sobre a militância política na juventude. A conversa transita por temas como diversidade, meio ambiente, agricultura e novos modais de transporte. Fruet demonstrou compromisso – como sempre – com as grandes causas paranaenses, como os direitos decorrentes da exploração da Usina de Itaipu e do pré-sal (especialmente a definição dos critérios relativos ao mar territorial).

Congresso aborda o impacto da pandemia nos negócios

Advogada Rachel Avellar Sotomaior Karam

Com o objetivo de debater os impactos no Direito, na Justiça e na sociedade provocados pela pandemia do novo coronavírus, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Escola Superior de Advocacia Nacional (ESA Nacional) vão realizar o I Congresso Digital Covid-19: Repercussões Jurídicas e Sociais da Pandemia. O evento online acontece até o dia 31 julho e já conta com mais de 100 mil inscritos. Nos cinco dias de congresso, serão apresentados mais de 140 painéis, abordando os mais variados campos do Direito, com a participação de cerca de 400 palestrantes. Um dos nomes confirmados para palestra é da advogada Rachel Avellar Sotomaior Karam, que é coordenadora do Grupo Jurídico do Sistema B Brasil e integrante do Comitê da Estratégia Nacional de Investimentos e Negócios de Impacto (ENIMPACTO) do Ministério da Economia.

Relatório de produtividade do Tribunal de Justiça do paraná

Entre os dias 16 de março e 26 de julho, o Poder Judiciário paranaense realizou, de forma remota, quase 3 milhões de atos processuais. O teletrabalho foi estabelecido em março pelo Decreto Judiciário nº 172/2020, que determinou o fechamento dos edifícios da Justiça estadual como medida de prevenção à disseminação da COVID-19. Em 133 dias de trabalho remoto, a 1ª instância proferiu 1.479.790 decisões e 1.208.894 despachos. Por sua vez, a 2ª instância proferiu 237.671 decisões e 63.059 despachos. Ao todo, foram realizados 2.989.414 atos processuais nesse período.