Covid 19 adia mais da metade dos casamentos. E tem os que nem querem mais se casar

440

Devido ao isolamento social imposto pelos riscos da contaminação do coronavírus, mais de 60% das celebrações de casamentos no primeiro semestre foram adiadas no Brasil.  Só na plataforma iCasei, líder de mercado em site do setor, foram mais de 3.500 eventos adiados. Mas surge uma proposta: a transmissão online da celebração.

“Muitos casais escolheram datas com significado para subirem ao altar e não querem abrir mão de oficializar a união nestes dias tão especiais. Por isso, acabaram adaptando a cerimônia civil para um evento online. Para isso, estão utilizando diversas redes sociais e plataformas de vídeo. O iCasei inova mais uma vez no mercado trazendo a possibilidade de fazer isso dentro do site de casamento dos noivos com uma forma rápida, prática e segura – já que um dos recursos disponíveis é a proteção do site por senha. Ou seja, somente os convidados do casal terão acesso ao site e, por consequência, à transmissão do casamento”, conta Luís Machado, diretor da plataforma.

A inovação surge diante da pesquisa do iCasei, realizada de 23 a 30 de abril e com 1.681 participantes, apontando que 61% tiveram que adiar a data do casamento, 32% não precisaram adiar ou ainda estão aguardando um pouco mais para tomar uma decisão. Para as remarcações, os meses de setembro e outubro são os favoritos. Entre os motivos citados para o adiamento, estão a impossibilidade de realização do evento por conta da quarentena, dificuldade financeira e até emocional. Para os noivos que planejam nova data, a principal dificuldade é concilia datas com fornecedores.

“De imediato, pensamos em como poderíamos ajudar os noivos em tempos tão difíceis como esses e lançamos o site de casamento grátis. Para os noivos que preferirem nossos planos mais completos, daremos o dobro do tempo contratado. Esperamos, assim, dar um maior auxílio a esses casais oferecendo o que fazemos de melhor: nossa plataforma e serviços”, diz Machado.

Contudo, dos noivos pesquisados, 2,66%  cancelaram o casamento e nem têm planos para ir ao altar.

Recolhimento social é tendência

O ficar em casa foi detectado como tendência antes da pandemia do coronavírus, tornando-se temática principal do espaço conceitual do Estúdio Fimec, instalado na 44ª Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes, realizada em março em Novo Hamburgo- RS.

Com direção de oito meses, a pesquisa do Studio 10 e do Centro de Design da Universidade Feevale apontou um “cotidiano cada vez mais pulverizado pelas dinâmicas digitais e, em especial, pelos jogos eletrônicos”.  O tema é comum, “mas hoje, com a Covid-19, a gamificação foi potencializada”, observa o estilista e diretor do Studio 10, Christian Thomas.

E entre suas atrações estava o Jogo de Vestir, criado pelo Laboratório de Jogos e Aprendizado da Universidade Feevale. Segundo Thomas, o ambiente possibilita ao estilista criar suas composições e seus  produtos em ambiente virtual, “agilizando processos, abrindo possibilidades de se trabalhar as coleções com mais eficiência, agilidade e, sobretudo, sem geração de descartes”.

O Estúdio Fimec é um espaço dedicado a pensar o futuro da moda, do desenvolvimento de produtos e do comportamento de consumidores, realizado pela Fenac em parceria com a Coelho Assessoria Empresarial. Todo o material produzido nessa pesquisa estará disponível para profissionais das áreas de calçados e acessórios.

Barbearia em casa, faça o favor

A quarentena necessária para salvar vidas pede barbearias fechadas. Mas nem por isso os homens devem descuidar-se da aparência. Allan Calixto, barbeador apaixonado pela GA.MA Barber Series, linha de barbearia profissional italiana, ensina como cuidar, em casa, de cabelo e barba. Começa pela higienização e termina com limpeza do aparelho de barbear.

“Use produtos corretos para o tipo de fio e faça a lavagem diária ou em dias alternados. É importante usar produtos próprios para cabelo e barba. Os principais são xampu para limpar e retirar todas as bactérias, condicionador para hidratar e, por último o balm, que dá um formato, brilho e maciez para a barba”, recomenda e  alerta: “Não realizar a secagem  imediata pode gerar fungos e bactérias”.

Por fim, lembra que limpar os aparelhos de barbear é importante e fácil. Recomenda um produto 5 em 1, disponível por diversas marcas – um spray com as funções de limpeza, lubrificação, anti-ferrugem, anti-séptico e resfriamento da lâmina. “Com esse multiuso você tem menos trabalho e a garantia de ter um produto limpo e higienizado, ainda mais em época de pandemia em que todo cuidado é pouco, e faz com que a vida útil do aparelho se prolongue”, recomenda.