Convivência das crianças com animais de estimação

357

Quando uma criança ganha um pet, ganha um companheiro. Eles animam o ambiente, fazem companhia, ajudam a diminuir a ansiedade e estimulam o desenvolvimento emocional e intelectual dos pequenos. As estatísticas mostram que as crianças que têm cães aprendem a falar mais rápido do que as que não têm. Muitas vezes o nome do animal é a primeira palavra que se aprende a dizer. O convívio estimula a sociabilidade, colabora com o desenvolvimento cognitivo e ajuda no equilíbrio, pois o pet estimula seu pequeno dono a correr pela casa. Há diversos estudos que comprovam que ao acariciar um cachorro o corpo produz endorfinas, e isso reduz a ansiedade

Benefícios no desenvolvimento infantil

A Associação de Proteção Animal Patas Para Você assegura que convivência entre crianças e animais de estimação eleva a autoestima e a afetividade. Além disso, esse convívio promove a união familiar, combate o sedentarismo e fortalece a imunidade. Um estudo realizado pelo Hospital Universitário Kuopio, na Finlândia,  avaliou 397 crianças nascidas no hospital entre setembro de 2002 e maio de 2005 durante seus primeiros anos de vida. Durante a pesquisa, foi constatado que as crianças que tinham contato com cães desde cedo apresentavam menos infecções no ouvido, entupimento de nariz e tosse. Outro estudo da Universidade da Suécia, com 650 mil crianças, apontou que as que convivem com cachorros em casa têm menor probabilidade de desenvolver asma. É claro que, se o pequeno é alérgico, é preciso consultar um pediatra, para saber se é boa ideia adotar o animal.

Sociabilidade e redução da ansiedade 

Outro benefício apontado por especialistas é o estímulo a atitudes mais positivas e a interação com as pessoas no dia a dia. Os pets, em geral, ajudam a desenvolver a solidariedade e prepara a criança para conviver em sociedade, especialmente no ambiente escolar. Também uma pesquisa da Universidade da Flórida, com cerca de 100 famílias que têm cachorros, colocou alguns testes de fala e de lógica para as crianças. Elas foram escolhidas de forma aleatória para participar do estudo, na companhia de seus pais, pets ou sozinhos. O resultado mostrou que as crianças que estavam com seus cães, no momento dos testes, comportaram-se de forma mais tranquila e apresentaram menores níveis de estresse ao responder às questões. A convivência faz ainda com que elas aproveitem mais o momento e se sintam menos solitárias.