(Divulgação Glenn Carstens Peters/Unsplash)

Os três primeiros meses de 2022 registraram um crescimento de 19% na compra de mídia, em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com levantamento do Cenp-Meios, o volume movimentado no primeiro trimestre ficou em R$ 3,4 bilhões ante R$ 2,8 bilhões do 1T de 2021.

No entanto, apesar do crescimento, a cifra ainda ficou abaixo de 2019, último ano antes da pandemia, quando os investimentos ficaram em R$ 3,7 bilhões – em 2020, por exemplo, o valor foi de R$ 2,9 bilhões no primeiro trimestre, o que ocasionou uma queda de 22%.

A TV aberta corresponde a 50% de todo o investimento, com R$ 1,7 bilhões, apesar de ter registrado uma perda de 6,88% de market share. Já a internet aparece na sequência com um investimento de R$ 951, 2 milhões e ganhou 4,25% de share. Na terceira posição vem o out of home, que faturou R$ 356 milhões e ganhou quase 2% de participação no mercado.

Os dados deste ano, como afirmou a entidade, foram fornecidos por 303 agências de publicidade de todo o país; em 2021, o volume de agências foi de 298.

“Fechamos 2021 com aumento expressivo de quase 40% e não arrefecemos. Temos um segundo semestre promissor, com eventos como Copa do Mundo e retorno total das atividades com crescimento da economia. Como sempre digo, a publicidade é a indústria que movimenta a indústria e estamos prontos para esse novo momento”, disse Luiz Lara, presidente do Cenp.

Globo reformula Prêmio Profissionais do Ano

O regulamento completo está disponível no endereço: https://profissionaisdoano.redeglobo.com.br/.

Representação da população preta e parda cresce na publicidade

Tema recorrentemente na sociedade, a representatividade de grupos considerados minoritários vêm sendo uma exigência cada vez mais constante dos consumidores e, claro, uma necessidade urgente de atenção das marcas – que parecem estar entendendo o recado. A Elife e a Agência SA365 divulgaram os resultados da quarta edição do estudo “Diversidade na Comunicação de Marcas em Redes Sociais”, que apontou um salto de 6 pontos percentuais na representação de pretos e pardos em postagens dos 20 maiores anunciantes do Brasil segundo a Kantar Ibope.

O levantamento tomou como base 11 mil postagens de anúncios no Instagram e Facebook das marcas. Ao todo, a representatividade chegou a 44% no ano passado, contra 38% obtido em 2020, em 11 categorias de mercado, entre elas financeiro, varejo, telecomunicações, higiene e beleza e farmacêuticas, por exemplo. Além disso, foram analisados posts que contavam não só com colorismo, mas com pessoas da comunidade LGBTQIA+ e pessoas com deficiência, quando mostradas de maneira explícita.

Considerando que 56% da população brasileira se declara negra e que apenas 44% das publicações contaram com pessoas desse grupo em 2021, a pesquisa conclui que pessoas pretas e pardas ainda são subrepresentadas na comunicação quando comparadas à proporção da população. Entre os segmentos com maior representatividade estão o varejo (60%), telecomunicações (53%) e higiene e beleza (49%).

Contudo, algumas marcas se destacam estando acima da média, alcançando mais de 50% de presença de negros e pardos nas publicações analisadas. São elas: Fanta, Ponto, Budweiser, Antartica, Seda, Skol, Bradesco, Gatorade, Vivo, Casas Bahia e Clear. No que diz respeito a produtos exclusivos, higiene e beleza focam nesse público como nicho de mercado.

As marcas que contam com participação do grupo maior ou igual à média brasileira são Downy, Casas Bahia, Close Up, Engov, Ponto, Pepsi, Bradesco e Rexona (estas com a presença de personagens trans), H2OH!, O Boticário, Do Bem, Claro e Guaraná Antártica.

Rede DDB une três agências e relança marca DM9

Nova empresa é fruto da fusão entre SunsetDDB, TracyLocke e Track; Icaro Doria retorna ao Brasil após sete anos nos EUA para assumir o comando criativo

Após um hiato de quase quatro anos, a rede DDB anuncia a volta da DM9. O retorno da marca ocorre com a fusão de três agências da rede administradas no Brasil pelo Grupo ABC: a SunsetDDB, que tem foco principal em publicidade, a TracyLocke, especializada em shopper marketing, e a Track, de CRM. A nova DM9 será dirigida por uma tríade de copresidentes composta por Pipo Calazans na cadeira de CEO, Thomas Tagliaferro como COO e Icaro Doria, que retorna ao Brasil depois de sete anos nos Estados Unidos para ocupar o posto de CCO. Até então, Pipo era o presidente da SunsetDDB e Thomas comandava a TracyLocke. Icaro estava, desde janeiro do ano passado, na agência Hill Holliday, sediada em Boston, onde ocupou o cargo de chief creative officer.

Segundo os executivos, a movimentação vem sendo planejada desde outubro do ano passado, visando atender às expectativas do “novo mundo”, em que o consumidor se comporta de novas maneiras. Assim, a DM9 contará com uma estrutura integrada, em que especialistas das agências que a originaram irão operar em modelo de hubs, “livre de silos”, priorizando a simplicidade e eficácia de processos por meio de mídia e dados, dizem os copresidentes.

“Essa DM9 nasce com uma nova missão: transformar interações ordinárias em experiências memoráveis entre marca e pessoas”, afirma Pipo Calazans. “Para que isso aconteça, a criatividade é o grande gatilho. Passamos por um momento em que discutimos muito os dados. O diferencial, hoje, não são os dados, mas como transformá-los em criatividade”, completa.