Para se alcançar à fama hoje em dia (mesmo que por alguns minutos), podemos recorrer aos chamados “se vira nos trinta” que são exibidos por aí.

(Antonio Brás Constante)

Para se alcançar à fama hoje em dia (mesmo que por alguns minutos), podemos recorrer aos chamados “se vira nos trinta” que são exibidos por aí. Até um pretenso escritor (assim como eu), poderia tentar tornar seu nome conhecido. Bastaria entrar no palco e desafiar alguém da platéia a sugerir um tema qualquer, que seria transformado em um pequeno poema nos poucos segundos permitidos. Porém, tal idéia dificilmente passaria pela produção dos programas de televisão, que não teriam interesse em incitar as pessoas a buscarem prazer na literatura.

Outra alternativa seria tentar o BBB, onde geralmente escolhem gente jovem e com barriga de “tanquinho”. Como não disponho desses atributos físicos, poderia argumentar que todas as pessoas são jovens, indiferente de terem oito ou oitenta anos, pois a juventude repousa em nossas mentes, através de um estado de espírito que pode perdurar a vida inteira. Diria que apesar da beleza física agradar aos olhos, se não houver o chamado brilho interior, ela se deteriora, perdendo totalmente o encanto. Quanto à barriga tanquinho, me apresentaria como um homem moderno, que exibe uma barriga do tipo: “lavadora-de-roupas-extragrande” (muito superior a qualquer tanquinho). Ainda assim, acredito que estes argumentos não sensibilizariam os tais caça-talentos a procura de bombados.

Restaria ainda uma opção voltada para planos mais marginais. Por exemplo, se eu assassinasse de alguma forma a língua portuguesa, poderia ganhar espaço no programa “linha direta”. Cheguei a fazer uns testes discretos, como no caso do texto sobre caminhadas, onde ao invés de “suaram” escrevi “soaram”. Esperei pelo pior, mas apenas o Boni (amigo e leitor), me avisou do erro, referindo-se a ele como uma licença poética (?) vinda de minha parte. Também lembrei que no Brasil as pessoas se deparam com todo tipo de violência. Sendo assim, provavelmente não dariam qualquer importância aos erros de português que porventura depreciassem a imagem de um humilde aprendiz de escritor.

A ultima alternativa seria publicar a biografia não autorizada de alguém que estivesse disposto a proibi-la. Mas, para não ter que efetuar anos de pesquisa e correr riscos quanto a sua não proibição, escreveria uma biografia não autorizada de mim mesmo. Depois me processaria (sem utilizar serviços de advogados). Por fim lançaria uma cópia na internet e ficaria torcendo para que a opinião pública adorasse ou odiasse tal atitude, divulgando-a ou criticando-a em todos os veículos de comunicação existentes.

Enfim, muitos acham que para se conquistar à fama vale tudo. Porém, o que realmente importa é reconhecermos nossa própria vocação, utilizando-a como algo positivo em nossas vidas. Pois fama e sucesso podem ser alcançados através do dinheiro. Já o talento é algo que não se compra. Não é um mero enfeite de estante, é uma ferramenta que fica guardada dentro de nós, pronta para ser usada na busca da felicidade.

 

E-mail: abrasc@terra.com.br

(Site: www.recantodasletras.com.br/autores/abrasc)