O combate à pirataria em Curitiba está sendo feito pela Prefeitura com a intensificação da fiscalização em pontos estratégicos da cidade


Nos últimos dois meses, fiscais do urbanismo apreenderam quase 40 mil produtos piratas que estavam à venda em terminais de ônibus, nas áreas centrais da cidade e em pontos de grande movimentação de pedestres. O combate à pirataria em Curitiba está sendo feito pela Prefeitura com a intensificação da fiscalização em pontos estratégicos da cidade. São recolhidos, todos os meses, uma média de 20 mil unidades falsificadas de CDs, DVDs, mídias eletrônicas, perfumes, maços de cigarros, entre outros produtos.
Uma mobilização reunirá três mil pessoas hoje, Dia Nacional do Combate à Pirataria, na praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico. O evento em Curitiba será coordenado pela Associação Paranaense de Combate à Pirataria e acontecerá também em outras sete capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Recife, Salvador, Goiânia e Brasília.
Os fiscais da secretaria de urbanismo contam com apoio de agentes da Guarda Municipal para o combate à atividade ilegal. Em algumas operações conta com apoio das policias militar e civil. Os infratores são encaminhados à Delegacia de Proteção ao Consumidor e estão sujeitos às penalidades criminais previstas pelo Código Penal Brasileiro.
"É uma atividade criminosa e vai contra a ordem tributária e econômica do país", diz o diretor de fiscalização da Secretaria Municipal de Urbanismo, José Luiz Fillippeto. A venda de produtos piratas também fere o Código de Postura do Município. Os produtos apreendidos são encaminhados à Receita Federal para serem destruídos.