O Ministério Público pode contar, a partir de hoje, com mais um aliado em sua guerra aberta contra o governador Roberto Requião.

O Ministério Público pode contar, a partir de hoje, com mais um aliado em sua guerra aberta contra o governador Roberto Requião ou em sua defesa contra os ataques desferidos pelo Palácio Iguaçu: senador Alvaro Dias (PSDB). Ontem ele comentou, em plenário, no Senado Federal, o exemplo do Paraná, onde as ações de combate ao nepotismo, promovidas pelo Ministério Público, têm sido questionadas por lideranças políticas: "No Paraná, o conflito se estende desde o dia 17 de agosto. A ofensiva de lideranças políticas do Estado ocorreu logo após uma ação civil pública movida pelo Ministério Público pedindo a demissão de todos os parentes que ocupam cargos em comissão no Executivo estadual. Os jornais do Paraná estampam em diversas matérias a relação de conflito vivido entre o Ministério Público e o Poder Executivo, com extensão até à Assembléia Legislativa. Esgrimir com o Ministério

 

 

 

Público não constrói nem edifica a democracia". O senador se referiu à matéria do jornal Gazeta do Povo , que noticiou as frentes de batalha abertas pelo governador contra o MPE: "Respeitamos a ação do governo estadual, mas evidentemente não podemos alimentar esse conflito e concordar com esse confronto. Creio que cabe a crítica às pessoas que integram a instituição, mas o Ministério Público deve ser preservado. É uma instituição essencial, sobretudo para o Brasil, que vive um clima de turbulência com tantos escândalos de corrupção. O Ministério Público tem realizado um trabalho extraordinário, contribuindo para que a população mantenha réstias de esperança no futuro das instituições públicas brasileiras”, disse.