Coadjuvante

421

Em Curitiba, o PT lançou o desconhecido Paulo Opuszka e boa parte do partido demonstra que prefere votar em outro candidato, de outra sigla. Camila Lanes, do PCdoB, é a alternativa mais citada. Antes disso tentou ir à reboque do MDB, acenando com a improvável candidatura do ex Requião para prefeito.

Em declínio eleitoral, o Partido dos Trabalhadores perdeu 60% das prefeituras que conquistou em 2012 e a expectativa para este ano é ainda pior. Os analistas acham que o PT tem tudo para ser coadjuvante do PSOL e do PCdoB nos grandes centros urbanos.

O exemplo mais claro é a candidatura de Guilherme Boulos à prefeitura de São Paulo, com apoio do PT que não terá candidatura própria. O único nome possível seria o de Fernando Haddad, mas ele aparece em terceiro lugar nas pesquisas domésticas. Em Salvador, até o candidato do PCdoB aparece à frente do candidato do PT, que é partido do governador da Bahia, Rui Costa.

Vale tudo

Em Itapuã Paulista, em São Paulo, foi registrada no TRE a chapa da petista Sirlene Almeida Camargo tendo como vice o PM Aguinaldo Domingues da Cruz, do PSL. A coligação conta com apoio do DEM, MDB, PDT e PTB. Agora, a ex-legenda do presidente Bolsonaro quer determinar a anulação do acordo.

Racismo

Dado para se refletir: segundo levantamento inédito da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, 70% das pessoas acusadas injustamente de um crime e a partir do reconhecimento fotográfico são negras. O estudo foi feito com base em levantamento de 19 varas criminais do estado.

Dois lados

O chanceler Ernesto Araújo comemorou a parceria e a nova cota de 110 mil toneladas de açúcar a ser exportada pelo Brasil para os Estados Unidos. O problema é custo disso: a importação à taxa zero de etanol podre, à base de milho.

Vai entrar

A mineira Algar vai entrar na disputa pela Copel Telecom, que será privatizada em novembro. O lance mínimo é de R$ 1,4 bilhão. O principal trunfo da Algar é a

Em marcha

Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul surgem como candidatos a receber  a nova escola de sargentos de carreira do Exército. O projeto representará uma grande mudança em relação à atual estrutura de graduação de patente. Em boa parte, devido a motivação de ordem econômica, o Exército pretende centralizar em uma única unidade a formação de sargentos, hoje dispersa entre 16 organizações militares. A nova escola será capaz de atender 2,2 mil alunos.

Amazônia blindada

No que depender das Forças Armadas a briga entre o governo brasileiro e a comunidade internacional em torno da Amazônia tende a aumentar. Entre os militares, a leitura é que os seguidos ataques ao Brasil fazem parte de um projeto de neocolonialismo patrocinado por grandes potências estrangeiras que mantém interesses difusos e inconfessáveis em relação à Região Amazônica. As ingerências de governos internacionais sobre a Amazônia têm sido interpretadas pelo Alto Comando do Exército como tentativas externas de afrontar a soberania nacional e impor prioridades geoeconômicas de fora para dentro do país.

 

Isolado, não

Ainda a Amazônia: nesse contexto, dentro das Forças Armadas predomina o entendimento que o governo deve adotar uma postura ainda mais contundente, algo como uma política de tolerância zero às intromissões de outros países na gestão da Amazônia brasileira. Como pode se ver, as duras declarações do general Augusto Heleno (GSI), de que os governos internacionais usam a Amazônia para “prejudicar o Brasil e derrubar o presidente Bolsonaro” estão longe de ser um ato isolado. Recentemente o general Hamilton Mourão disse que a Amazônia sofre “cobiça por parte de atores de área internacional”.

Do lado de cá

Além de frigoríficos, o empresário Marcos Molina, dono da Marfrig, também se movimenta para comprar fazendas no Paraguai.

Números

Para quem gosta de números: no primeiro bimestre de 2020, a previsão de crescimento econômico era de 2,10%; já no quatro bimestre de 2020 era de recessão de 4,7%. Mais: no primeiro bimestre de 2020, a previsão de déficit fiscal primário era de R$ 161,6 bilhões; já no quarto bimestre de 2020 era de déficit fiscal primário de R$ 861,0 bilhões.

Campeão

Segundo o painel Bussola Covid-19, o deputado Osmar Terra (MDB-RS) foi o político que mais abordou o coronavírus nas redes sociais, na semana passada. Mais que o dobro de Benedita da Silva (PT-RJ), em segundo lugar. Ela é candidata à prefeitura do Rio; ele é o ex-ministro que também achava que nunca haveria uma pandemia.

 

Os primeiros

Projeto de Lei Orçamentaria Anual, enviado ao Congresso pelo governo federal prevê a contratação de mais de 53 mil pessoas em concursos públicos em 2021. Deverão ser os primeiros depois da reforma administrativa.

 

Marketing

João Doria quer ver brasileiros tomando a vacina chinesa já em dezembro. E quer fazer disso um amplo plano de marketing em torno do “primeiro governador a trazer a vacina ao Brasil”, com a certeza de que a iniciativa revigorará sua imagem, de olho em 2022, quando provavelmente enfrentará nas urnas o favorito Jair Bolsonaro.

 

Mais batata

Enquanto o arroz batia recorde de preços durante a crise da pandemia do coronavírus, a cebola e a batata ficaram mais baratas no último mês, segundo boletim da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

 

Reativado

Os ministros da Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo e do Paraguai, Antonio Rivas, oficializaram a reativação parcial do comércio nas cidades de Foz do Iguaçu (PR), Mundo Novo e Ponta Porã (MS).

 

Coleção

Os deputados da Alerj, derrotaram Wilson Witzel por 69 votos a zero, xingaram o governador afastado de todas as maneiras: “corrupto”, “deslumbrado”, “arrogante”, “desesperado”, “falso moralista” e “ladrão”. Uma coleção, pelo que se vê.

 

Rumo ao Grajaú

Esnobada pelos deputados, a Alerj queria vingança contra Wilson Witzel. O capitão Paulo Teixeira (Republicanos) defendeu que o governador fosse deixado “só com a roupa do corpo”. E a deputada Lucinha (PSDB) sugeriu seu despejo imediato. “Vamos por na rua. Que ele volte a morar no Grajaú”.

 

Contundente

Bolsonaro, o ministro Paulo Guedes e líderes aliados acertaram que a reforma tributária em discussão na Câmara e o “pacto federativo”, a cargo do Senado, devem dar “resposta contundente” ao período pós-covid, com a garantia de programas como o “Renda Brasil”, que amparam os que precisam e os empresários precisam de desoneração. Tudo sob duas “cláusulas pétreas”: não mexe no Teto dos Gastos e não haverá aumento de carga tributária.

 

Substituição

Se decidiu não aumentar a carga tributária, o governo e seus líderes admitem promover substituição de tributos eliminando impostos. Na “substituição”, o governo abre caminho para criar o tributo sobre “transações eletrônicas”, extinguindo dois ou três impostos.

 

Acarajé

Alguém do governo da Bahia garantiu acarajé de graça. No decreto que regulamenta a Lei Aldir Blanc, o governo local inclui as baianas do acarajé entre artistas e profissionais do setor que receberão o auxílio.

 

Engrossando o time

Nos corredores da sede do Facebook, no Itaim Bibi, em São Paulo, circula a informação de que a matriz enviará reforços ao Brasil em novembro. Vão engrossar o bloco para conter a proliferação de informações falsas na reta final da campanha eleitoral. Alguns desses profissionais trarão no currículo a experiência das eleições norte-americanas.

 

Para chorar

A procuradoria Geral da República e sua congênere boliviana investigam um suposto esquema de corrupção de venda de gás lacrimogênio por parte de companhias brasileiras a forças de segurança da Bolívia. A PRG já convocou para depor dirigentes das principais companhias exportadoras. O superfaturamento da venda do gás lacrimogênio teria chegado a R$ 30 milhões.

 

 

 

Mote

O marketing da campanha de Benedita da Silva à prefeitura do Rio vai bater em Sérgio Cabral, Garotinho, Witzel e outros. Um dos principais motes da propaganda será o fato de que Benedita é a única, entre os seis últimos governadores do Rio, que não foi presa. Não é nada, mas vale a força.

 

No Pantanal

O vice-presidente Hamilton Mourão vai visitar as áreas queimadas do Pantanal. Seria uma demonstração de  que o Planalto não está indiferente à devastação da região. Pelo menos, um no térreo, onde fica o gabinete da vice-presidência; já no terceiro andar, o figurino é diferente.

 

Não vale

O ator José de Abreu que mora agora na Nova Zelândia e que não pretende voltar ao Brasil tão cedo, usou novamente suas redes sociais para atacar ao governo. Nada ver com queimadas no Pantanal. Seu alvo foi a ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos. Ao saber que a ministra atuou para tentar impedir o aborto de uma criança de 10 anos atacou: “Você não vale um prato de arroz. Epa, subiu!”.

 

“Air bag”

O governo de Goiás está elaborando um programa de benefícios fiscais para a indústria automobilística. Além de tentar atrair novos investimentos, a medida pode ser interpretada como um “air bag” tributário para as montadoras já instaladas no estado: Caoa Hyundai, Chery, Suzuki e Mitsubishi. O governador Ronaldo Caiado tem a saída de empresas do setor, caso o Congresso não vote a Medida Provisória que estende o Regime Automotivo Centro-Oeste até 2025. Numa articulação política, as montadoras conseguiram incluir no texto da MP a extensão de incentivos fiscais para a indústria automobilística da região. Se a MP não for votada, os benefícios terminam em dezembro, que é tudo o que Paulo Guedes quer.

 

Filho

A proximidade com Jair Bolsonaro, que gostaria de vê-lo na presidência do Senado, está rendendo frutos para o senador Marcio Bittar. Seu filho será aninhado em um cargo no governo, provavelmente no Ministério da Cidadania. Na semana passada, o filho participou de uma reunião do pai com o presidente, quando o senador saiu dizendo que recebera aval de Bolsonaro para propor novo programa social.

 

Escolhida

O Brasil vai ganhar mais importância no mapa geoeconômico da Unilever na América Latina. A subsidiária brasileira será a escolhida para abastecer o mercado chileno, depois da decisão do grupo de encerrar a produção de sua linha de limpeza naquele país.

 

Por escrito

Augusto Aras,  procurador-geral da República defendeu que o depoimento do presidente Bolsonaro na Polícia Federal sobre “supostas” interferências na PF seja por escrito. O parecer foi enviado em recurso apresentado pela Advocacia-Geral da União  após o ministro Celso de Mello, do STF, determinar a oitiva presencial de Bolsonaro. O ministro Marco Aurélio relator do pedido é admirador da ideia e  liberou o caso para análise no plenário virtual.

 

Piada pronta

Partidos políticos integrados por mentirosos compulsivos são a maioria dos parceiros da Justiça Eleitoral no site “Desinformação” de combate às fake news. O DEM de Rodrigo Maia, personagem da Lava Jato, o PTB, de Roberto Jefferson, estrela do mensalão, o PSC do Pastor Everaldo, preso há dias e o PP do petrolão ajudarão a definir o que é falso ou verdadeiro na disputa eleitoral. Também são parceiros da Justiça Eleitoral Solidariedade, DC, PDT, PRTB, Podemos e Republicanos, recheados de velho mentirosos

 

Pesquisa

A nova pesquisa do Datafolha para eleições municipais em São Paulo coloca Celso Russomano, quem nem começou sua campanha, muito distante em primeiro lugar do segundo colocado Bruno Covas. O que deixou o prefeito da cidade mais assustado ainda. Russomano deverá gravar uma mensagem para o horário gratuito ao lado de Bolsonaro, que já se comprometeu. Será a única participação do presidente em campanhas. Bruno acha que, para ele, uma alternativa seria ter uma candidata a vice-prefeita, aglutinadora de votos.

Frases

“Cristo foi delatado e vendido entre seus apóstolos. Felizmente, a história mostra que os mártires nunca morrem.”

Wilson Witzel, comparando-se a Jesus.