O uso de cartões para o pagamento de contas no varejo fez o cheque perder a posição de liderança entre os meios mais utilizados pelos consumidores brasileiros.

O uso de cartões para o pagamento de contas no varejo fez o cheque perder a posição de liderança entre os meios mais utilizados pelos consumidores brasileiros. O papel ficou em primeiro lugar entre 2001 e 2005, mas perdeu a posição no ano passado, quando foram feitas 1,737 bilhão de operações com cartão de crédito, contra 1,622 bilhão de cheques compensando.

Os dados fazem parte do relatório "Diagnóstico do Sistema de Pagamentos de Varejo do Brasil", realizado pelo Banco Central, que mostra ainda que o utilização de cartão de débitos mais do que quadruplicou entre 2001 e 2006.

O uso do cartão de crédito apresentou um crescimento de 15,7% no ano passado em relação a 2005 e de 110% na comparação com 2001. Já a utilização dos cheques foi no sentido contrário. As 1,622 bilhão de folhas compensada representam uma queda de, respectivamente, 11,8% e 35%.

Já as operações com cartões de débito chegaram em 2006 a 1,430 bilhão, um crescimento de 339% em relação a 2001 e de 25,3% sobre o ano anterior.

Já o débito direto cresceu em um ano 2,2%, para 798 milhões de operações, e desde 2001, um avanço de 107%. Já as transferências de crédito interbancário totalizaram no ano passado 1,309 bilhão, o que representa um crescimento de 27,5% no ano e de 70% desde 2001.

O mesmo estudo mostra ainda que o valor médio de cada operação com cartão de débito é de R$ 47, enquanto nas transferências a média chega a R$ 2.789. Já o gasto médio com cartão de crédito é de R$ 82 e com o débito direto, R$ 353. O valor dos cheques compensados é de R$ 623.

Até o ano passado, o Brasil contava com 85,230 milhões de cartões de crédito emitidos e 174.493 milhões de débito, crescimentos de, respectivamente, 141% e 73% em relação a 2001, primeiro ano do relatório.