Câmara nega abrir processo de impeachment contra prefeito do Rio por ‘QG da Propina’

260

A Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro decidiu por 24 votos a 20 não abrir um processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella. A denúncia contra Crivella foi apresentada na última terça-feira pelo PSOL, que pede para o prefeito ser investigado pelo caso conhecido como “QG da Propina”. A Câmara rejeitou abrir o processo por 24 votos a 20; Pouco antes das 18h, a Câmara aprovou o fim das discussões antecipadamente; Defendendo a abertura do processo, Reimont (PT) chegou a rasgar um papel que simbolizava seu diploma de vereador; Na defesa de Crivella, o vereador Ínaldo Silva (Republicanos) comparou o prefeito a uma fênix. Já Tarcísio Motta (PSOL) criticou a suposta troca de cargos na prefeitura por votos a favor de Crivella. ‘Várias pessoas me mandam mensagem falando que vamos chutar cachorro morto, mas eu falo, cachorro morto, não. É indigno ao cachorro compará-lo ao prefeito dessa cidade’, disse Dr. Marcos Paulo (PSOL). ‘Tirar o mandato de um prefeito, sendo que daqui a pouco teremos uma eleição direta, um pleito onde a população estará escolhendo o prefeito dessa cidade? É covardia demais’, defendeu Tânia Bastos (Republicanos).