Câmara da Mulher agora tem Facebook e Instagram

458
Cláudia Regina Colpi, coordenadora da CMEG PR : “A nossa ideia é mostrar o que a CMEG faz e principalmente qual o papel dela na Fecomércio”

A Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios do PR (CMEG), órgão executivo coordenado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio), acabou e criar uma página própria no Instagram, o @cmeg_parana e outra no Facebook, a Câmara da Mulher Empreendedora do Paraná.

Neste momento em que a sociedade está vivendo de isolamento, as redes sociais se mostraram granes aliadas para a realização de projetos e apoio aos seguidores.

Ao todo são 22 Câmaras instaladas no estado e o objetivo é divulgar o trabalho em todo o Paraná. “Para conseguir fazer ações diferenciadas na CMEG, precisávamos de algo que atingisse todo o Paraná e as redes sociais têm esse poder. Desse modo vamos divulgar todas as ações que as câmaras realizam em suas cidades, assim podendo inspirar as demais. A nossa ideia é mostrar o que a CMEG faz e principalmente qual o papel dela na Fecomércio”, explicou a coordenadora da CMEG PR, Cláudia Regina Colpi.

No último dia 17 de junho, a Câmara da Mulher  realizou  a primeira live do canal, Gestão de vendas, com o fundador da Growing Now, Fabio Kalil. Com mais de 17 anos de experiência no mundo corporativo, Kalil falou  sobre  gestão em tempos de crise, modelo de negócios, padronização de canais de vendas e fomentação de vendas. “Fatos e dados são muito relevantes para a sustentabilidade dos negócios, é preciso ter números e controle de indicadores de vendas e finanças. É claro que a crise é ruim porque afeta muito as micro e pequenas empresas, mas é na crise que vamos conseguir ter mais agilidade, uma resposta mais efetiva para o consumidor.”, ressaltou Kalil.

Iana Ibiapina vai para a pista

Iana Ibiapina : “Adoro dirigir, pilotar, barulho de motor e, principalmente, gosto de acelerar”

A máxima “não basta ser mãe, tem que participar” é levada muito a sério por Iana Ibiapina. Fã incondicional do filho Alfredinho Ibiapina (Orcali), piloto de kart com 12 anos, Iana também é apaixonado pelo esporte a motor. Neste momento, em que as competições estão paralisadas em virtude da pandemia do Covid 19, a integrante da equipe A8 Racing colocou em prática a ideia de treinar junto com o filhão, e assim, poder acompanhar de perto tudo o que acontece com ele.

“Adoro dirigir, pilotar, barulho de motor e, principalmente, gosto de acelerar! Como não estamos trabalhando duro em cima do Alfredinho por conta do adiamento das competições, vi a oportunidade de ir para a pista e entender melhor como é a responsabilidade de conduzir um kart. É tenso, mas estou adorando. Os kartódromos estão limitando o número de pessoas por equipe, assim, uni o útil ao muito agradável. Aprendo a pilotar kart e acompanho os treinos dele”, comentou Iana Ibiapina.

Alfredinho apoiou a vontade da mãe. “O meu pai foi piloto e ter a minha mãe treinando é muito legal. Agora é a minha vez de gesticular como um louco do lado de fora, fazer as cobranças, “puxar a orelha”, porque ela precisa pisar fundo dentro da pista, mesmo no treino. É assim que ela vai aprender. Esta experiência nos aproximou muito mais, e acho que agora vou acabar me cobrando ainda mais durante as corridas”, disse piloto curitibano da categoria Júnior Menor.

Reflexão de Bebeti do Amaral Gurgel

Escritora curitibana Bebeti do Amaral Gurgel participa do projeto “Pensando o Amanhã”, do Goethe-Institut

A escritora curitibana Bebeti do Amaral Gurgel foi  uma das intelectuais convidadas a participar do projeto “Pensando o Amanhã”, do Goethe-Institut, que propõe uma reflexão sobre o que ocorrerá no mundo após a pandemia do novo coronavírus.

Bebeti diz que está em isolamento social há quase cem dias e optou por fazê-lo sozinha. “Não saio de casa há 96 dias, peço comida e o que preciso é entregue na minha casa”, conta. Para preencher seus dias, busca o exemplo de seus ídolos. “Livros, filosofia e vinho me ajudam e me inspiram, assim como escritores e escritoras, atores e atrizes que admiro.

No projeto do Goethe-Institut, Bebeti, assim como outros intelectuais, entre eles, músicos, filósofos, historiadores, poetas, tentam, a partir da vivência de cada um, projetar como será o planeta assim que for encerrada a necessidade de isolamento social e a maior crise sanitária já vivida pelo planeta Terra.

Uso do filtro solar em casa

Muitos que estão aderindo a quarentena e o isolamento social se desprenderam do uso de maquiagens e até do filtro solar. Porém, a luminosidade natural vinda de fora, e também as luzes internas, são grandes responsáveis por manchas, fotoenvelhecimento, queimaduras e, até câncer de pele.

Segundo a cirurgiã-dentista, especialista em harmonização facial pela Universidade de Harvard, Cintia Vale, as janelas de vidro bloqueiam os raios UVB, porém, não o UVA. Além disso, luzes fluorescentes, a radiação emitida pela tela de notebooks, celulares e televisões, que atravessam o vidro e penetram na pele.

“Esses raios com ondas mais longas penetram fundo na pele , por isso, além de passar o filtro no rosto, colo e mãos, é importante reaplicar a cada duas horas”, salienta. A profissional alerta ainda a necessidade de acrescentar antioxidantes que ajudem na proteção do DNA celular e intramitocontrial à fórmula, como vitamina C e Resveratrol, pois somente o filtro não é suficiente. Muitos produtos de farmácia possuem esses ativos, porém, nos manipulados, é possível adicionar ativos e quantidades específicas para cada indivíduo.