A ABS Consultoria, de São Paulo, vem aumentando a produtividade de empresas instaladas na Europa, Ásia e América Latina.

O foco da consultoria é a sustentabilidade dos negócios: encontrar e eliminar desperdícios, aproveitando melhor os recursos humanos, materiais e financeiros de uma empresa.

Na Delta Cafés, de Portugal, o trabalho da ABS resultou no aumento de 17% da produtividade; de 18% nas visitas comerciais efetivas; de 101% na prospecção de clientes e de 44% de faturamento além da meta.

Na Lusosider – Aços Planos, também de Portugal, a ABS aumentou a produtividade de três linhas em um total 6,4 toneladas a mais por hora.

Na Whirlpool, do México, a ABS implantou projeto de redução de custos na fábrica de fogões e geladeiras, que representou um ganho de US$ 3 milhões. "Através da Metodologia ABS, obtivemos um controle mais efetivo das operações e a formação de um ambiente de maior cooperação e trabalho em equipe entre as áreas de produção e apoio", declara Eduardo Elizondo, diretor Industrial da Whirlpool.

Na Ilha dos Açores, a ABS está treinando a equipe da empresa Energia dos Açores (EDA) para se tornar mais produtiva. Segundo o presidente do Conselho de Administração da EDA, Roberto Amaral, o objetivo não é aumentar o esforço de cada funcionário, mas sim sua eficiência. Em uma escala de zero a cinco, os profissionais da EDA deram nota média de 4,5 para a formação proporcionada pela ABS.

Na China, a ABS iniciou um projeto na Companhia de Electricidade de Macau (CEM), com o objetivo de reduzir em um ano as tarifas para os usuários.

Na Argentina, a Emfer (Empreendimentos Ferroviários S/A) ganhou em produtividade o equivalente seis vezes o valor investido no projeto da ABS.

No Brasil, uma das multinacionais que estão aplicando a metodologia da ABS é a Flextronics. Segundo a psicóloga Margarida Marques de Almeida, a finalidade do programa é levar as lideranças e demais funcionários à reflexão e mudanças de atitudes. "São essas pessoas, com atitudes positivas e pró-ativas que levarão a empresa a ser melhor", diz ela.

No Banco Panamericano, a ABS foi chamada para auxiliar o novo departamento de Gerência de Custos, que tem a missão de administrar os contratos de fornecedores e outras despesas. "Nossa meta é melhorar a relação entre custo e produtividade. A primeira parte do trabalho já foi apurada, identificando um potencial de aprimoramento de 20%", revela a gerente de Custos, Carla Lutfi. "Os ótimos resultados que já alcançamos se devem à grande dedicação e comprometimento dos colaboradores", afirma.

Na CIV (Companhia Industrial de Vidros), em Vitória, a ABS propôs uma redistribuição dos operadores na linha de produção e mais flexibilidade das funções. Resultado: cada funcionário montava 15 kits de produto por hora e agora monta 19. "O colaborador passou a exercer mais de uma atividade, que pode variar de acordo com a velocidade da produção em cada etapa da montagem. Cada um ajuda o outro quando preciso. O trabalho ficou mais dinâmico", explica José Mendes, do setor de Manutenção de Máquinas. Somente esta mudança vai gerar uma economia de R$ 450 mil ao ano para a empresa.

A ABS também mantém um programa para pequenas e médias empresas. Um caso recente é o das concessionárias de veículos Fiat Ventuno, de São Paulo, e Nova Forte (Ford), de Campinas, que pertencem ao mesmo grupo e que aumentaram suas vendas de peças após oito semanas de melhoria no sistema organizacional e na postura da equipe.