Segundo a pesquisa, houve redução dos percentuais de mulheres e homens em todas as faixas etárias até 34 anos entre 2012 e 2021 – Foto: Agência Brasil

O número de mulheres no Brasil é 4,8 milhões maior que o de homens. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua Anual) – Características dos Moradores 2020 – 2021, divulgados nesta sexta-feira, 22, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esta diferença segue a tendência observada pelo Instituto desde o início da série histórica, em 2012. Ao todo, o país tem 212,6 milhões de pessoas.

Somente a região Norte registrou população masculina maior que a feminina. São 102,3 homens para cada 100 mulheres.

Já o Nordeste e Sudeste apresentaram as maiores participações de mulheres na população, com 93,9 e 94,2, respectivamente.

Segundo a pesquisa, houve redução dos percentuais de mulheres e homens em todas as faixas etárias até 34 anos entre 2012 e 2021.

Nas faixas etárias acima de 34 anos, houve crescimento tanto para os homens quanto para as mulheres.

“Nos grupos de idade de 0 a 4 anos e de 5 a 9 anos é observada uma razão de sexo (população masculina em relação à população feminina) mais elevada quando comparados aos demais grupos etários, sendo, respectivamente, de 104,8 e 104,7 homens para cada 100 mulheres nesses grupos”, diz trecho do relatório.

O IBGE explica que o número de mulheres é superior ao de homens devido a diferença na expectativa de vida, que é maior entre as mulheres.