O Museu Oscar Niemeyer passa a exibir, a partir desta quinta dia 23, a exposição Bancos Indígenas do Brasil. Com curadoria de Marisa Moreira Salles e Tomas Alvim, o acervo reúne mais de 200 exemplares da Coleção BEĨ, provenientes de 40 etnias da Amazônia, um de uma etnia de Santa Catarina e seis grandes imagens feitas pelo fotógrafo Rafael Costa, no Território Indígena do Xingu.

Dividida em duas partes, a primeira é dedicada à extensa produção da Terra Indígena do Xingu, localizada no Mato Grosso. A segunda parte reúne demais povos indígenas de várias partes da Amazônia, localizadas no Acre, Pará, Tocantins, Maranhão, Roraima, Amapá e Amazonas.

Os curadores explicam que a Coleção BEĨ nasceu de um deslumbramento estético com a inequívoca beleza de formas, cores, grafismos e texturas dos bancos indígenas brasileiros. “Sua trajetória parte do encantamento para a compreensão mais profunda de seus significados”, afirma Marisa Moreira Salles. Para Tomas Alvim, “ao abordar a arte dos povos originários com a realização dessa grandiosa exposição, o MON mostra o seu vanguardismo”.

A coleção de Poty Lazzarotto, incorporada oficialmente ao acervo do museu em 29 de março de 2022, tem desenhos de bancos indígenas feitos pelo artista, que passou uma temporada no Xingu na década de 1960. Esses desenhos podem ser admirados, simultaneamente à exposição da Coleção BEĨ, no hall térreo do MON. “Tal afinidade prova a permeabilidade da arte”, observa Juliana Vosnika, diretora do museu, lembrando que “a arte indígena, assim como a asiática e a africana, sempre inspirou artistas”.

Agende-se

Vernissage nesta quinta 23 de junho às 19h, com presença de lideranças indígenas. Visitação prevista até dezembro, de terça a domingo, das 10h às 17h30 (permanência até 18h). Venda de ingressos e acesso às salas de exposição até 17h30

Ingressos

R$ 30,00 (inteira)

R$ 15,00 (meia-entrada para professores e estudantes com identificação; doadores de sangue; pessoas com deficiência; titulares da ID Jovem; portadores de câncer com documento comprovatório)

Entrada gratuita, mediante apresentação de documento comprovatório: menores de 12 anos, maiores de 60 anos, grupos pré-agendados de estudantes de escolas públicas do ensino médio e fundamental, guias de turismo acompanhados de grupos, jornalistas, taxistas credenciados à URBS, membros da Associação Profissional dos Artistas Plásticos do Paraná (APAP), membros do International Council of Museums (ICOM).

O pagamento na bilheteria pode ser realizado em dinheiro, cartão de débito ou crédito e Vale-Cultura. Já o pagamento do ingresso online, pode ser realizado no cartão de crédito ou por Pix.