As previsões do Banco Central confirmam que a dívida líquida do setor público terá queda de 44% do Produto Interno Bruto em agosto.

As previsões do Banco Central confirmam que a dívida líquida do setor público terá queda de 44% do Produto Interno Bruto em agosto. No mês de julho a redução foi de 44,4%. Segundo os especialistas, o que motivou o valor foi o fato de ativos da União serem indexados ao câmbio. Os ativos passam a valer menos se a cotação sobe. A estimativa foi feita com base no câmbio de R$ 1,95. No final do ano a estimativa é maior, de 44,5%

O valor da diferença entre as receitas e despesas mais os gastos com juros deverá ser de 2,3% do PIB (Produto Interno Bruto). A expectativa de superávit primário é de 3,8% do PIB (R$ 95,89 bilhões).

Na análise dos 12 meses até julho o déficit nominal foi negativo em 2,08% do Produto Interno Bruto, ante 2,16% em junho. A elevação do superávit primário foi de 4,30% para 4,37%.