Atletas refugiados desejam que Jogos levem mensagem de esperança a todos

271

Atletas refugiados que participam da Olimpíada de Tóquio expressaram desejo de enviar uma mensagem de esperança por meio dos Jogos a outras pessoas deslocadas em diversas partes do mundo.

Três integrantes da equipe de 29 Atletas Refugiados Olímpicos conversaram com repórteres em Tóquio na terça-feira.

Esta é a segunda vez que o Comitê Olímpico Internacional (COI) forma uma equipe de refugiados, depois da estreia do time nos Jogos Rio 2016.

A corredora de atletismo Rose Nathike Likonyen, do Sudão do Sul, participa da Olimpíada como integrante da equipe pela segunda vez. Ela ressaltou que foi capaz de disputar uma vasta gama de competições internacionais graças à participação nos Jogos do Rio.

Também deu a entender que a presença da equipe de refugiados nos Jogos de Tóquio enviaria uma mensagem de esperança e destacaria o poder do esporte para refugiados de todo o mundo.

Yiech Pur Biel, também do atletismo e compatriota de Rose, foi mais um participante dos Jogos Rio 2016.

Ele ressaltou que um número estimado de 20 milhões de pessoas vivem na condição de refugiados no mudo todo, e que cerca de metade deles está na faixa etária abaixo dos 25 anos. O corredor espera que mais pessoas se conscientizem sobre atletas refugiados por meio dos Jogos, o que pode impulsionar a ajuda humanitária voltada a pessoas deslocadas de seus locais de origem.