A arrecadação de impostos e contribuições federais atingiu R$ 48,653 bilhões em agosto, valor 13,36% superior ao total obtido no mesmo mês do ano passado.

A arrecadação de impostos e contribuições federais atingiu R$ 48,653 bilhões em agosto, valor 13,36% superior ao total obtido no mesmo mês do ano passado. Com o resultado, as receitas somaram R$ 381, 487 bilhões no período de janeiro a agosto deste ano.

Na comparação do mês, o aumento se deve especialmente ao crescimento de arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), que subiu 66,86%, provocado especialmente pelos ganhos de capital na alienação de bens e depósito judicial, que teve alta de 388%.

“A arrecadação relativa a ganhos de capital na alienação de bens tem apresentado crescimentos sistemáticos, devendo-se tal fato, em grande medida, à intensificação do controle sobre as declarações de operações imobiliárias (DOIs) e sobre as declarações de informações de atividades imobiliárias (Dimob)”, explica o relatório sobre arrecadação de impostos do mês de agosto, divulgado na quinta-feira à tarde pela Receita Federal.

O ganho líquido em operações em bolsa cresceu 1.124%. Nesse caso, diz o relatório, o aumento se deve à elevação no volume de negócios na Bolsa de Valores de São Paulo.

Dentro de instantes, em entrevista coletiva, o secretário adjunto da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, detalhará os números da arrecadação de agosto.